quarta-feira, 29 de junho de 2016

A (MINHA) DEPRESSÃO NA ADOLESCÊNCIA

Hoje, bem cedinho, li um artigo na internet que levou o meu pensamento a viajar 20 anos e que despertou a vontade de também escrever sobre este assunto numa perspetiva pessoal. Refiro-me ao artigo "Depressão na Adolescência", do site Up To Kids.

Assumo que, em tempos e durante anos, tive vergonha e receio de falar ou escrever sobre este tema. Não sei se por ser ainda muito tabu e se pensar que apenas acontece "aos outros", se por sentir que assumir que a depressão entrou na minha vida me apresentasse como uma pessoa fraca, medo que sei próprio de quem esconde este seu problema.
Agora, resolvida que estou com este "calcanhar de Aquiles" que me acompanhará para sempre, escrevo sem problemas nem reservas, acreditando até que poderei estar a ajudar alguém.

Tinha 17 anos quando me senti deprimida pela primeira vez. Não triste. Deprimida mesmo.
Há muito tempo que me sentia cansada, ansiosa, impaciente, triste. Começaram as dificuldades de concentração nas aulas, as insónias intensificaram-se e o "mau feitio" foi surgindo e apoderando-se das minhas atitudes e relações pessoais.
Sentia-me quase permanentemente exausta e carente.
Comecei a sentir-me mal em todo o lado, a sentir-me "a mais" e indesejada. Comecei a dar uma atenção redobrada e negativa a pormenores e momentos menos felizes, provavelmente normais e rotineiros para a maioria dos meus colegas e familiares.

segunda-feira, 27 de junho de 2016

"AS GOTAS DE UM BEIJO", DE CARINA ROSA

Não é novidade para ninguém que o meu género literário preferido é o romance.
Desde sempre que gosto de ler livro que contem histórias de amor, que falem sobre relações entre as pessoas, que apresentem as suas vidas e experiências, exponham o que sentem, fazem e pensam.
E é decididamente neste género literário que se enquadra um dos livros que devorei na semana passada. Falo de "As gotas de um beijo", belissimamente escrito por Carina Rosa e editado pela Alfarroba Edições, minha parceira.

A história deste livro tem como personagem principal e central o honesto e meigo David,
Este é um homem solitário e apaixonado por carros antigos que, após um divórcio inevitável e conflituoso se apoia bastante em Diana, uma amiga de sempre (e para sempre) com quem tem uma relação estreita e segura.

É com ela que David partilha gostos, interesses, bons e maus momentos, segredos e medos, até conhecer Laura e sentir esta relação quebrar-se e mudar de rumo.

Laura é uma mulher atraente e enigmática, por quem David sente uma empatia muito grande desde o primeiro olhar e das primeiras palavras, sentimento desde logo recíproco e que despoleta uma paixão envolvente como há muito nenhum dos dois vivenciava.

Envolvido nesta relação, David não se apercebe de que Laura esconde uma vida paralela, da qual não se orgulha nem consegue sair.

sexta-feira, 24 de junho de 2016

DICAS ORIFLAME #01 - COMO USAR UM BRONZER BLUSH (VIDEO E PASSATEMPO)

Bom dia!!
Desde que me juntei à Oriflame que tem aumentado a minha curiosidade em relação aos produtos de maquilhagem e à sua melhor utilização.
Por isso, gostei muito de ver um pequeno vídeo que nos ensina a fazer uns contornos perfeitos e com um tom bronzeado em pequenos e rápidos passos.
Vejam só:

Que acham?
Fácil, não vos parece?



Deixem-me a vossa opinião acerca deste vídeo, respondam a algumas perguntas simples, partilhem este post e habilitem-se a ganhar este Pó Compacto Very Me.

Pó com SPF 10, suavemente brilhante e delicadamente perfumado, perfeito para dar realçar os contornos, para um acabamento refrescado e com aspeto saudável.

Já preencheram?
Se sim, agora é só esperar pelo sorteio aleatório.
Têm até às 22h do dia 10 de julho para participar.
Válida apenas 1 participação por pessoa/perfil.

 

sábado, 18 de junho de 2016

GOSTO...

Sim, é verdade...

Gosto de pessoas autênticas, que choram e dão gargalhadas, que olham nos olhos, que lutam pelos sonhos.
Gosto de momentos intensos e de sensações fortes, que arrepiam a pele e gelam a barriga.
Gosto da fruta do verão, colhida da árvore, trincada bem fresca.
Gosto do arco-íris no céu, do cheiro a terra molhada, da fragrância das flores.
Gosto de histórias de vida, de poemas com alma, de piadas irónicas, de pensamentos profundos.
Gosto de uma ida ao cinema, com pipocas ou gomas, de uma ida ao museu que desperte e ensine,
Gosto de vestido branco em pele morena, de sandália num pé bonito, de calças que embelezam a silhueta.
Gosto de ilustrações infantis, de decorações simples, de recantos da casa e refúgios na natureza.
Gosto do cheiro e do som do mar, do nascer e do pôr-do-sol, do ronronar dos gatos.
Gosto do dom da sensibilidade que me faz gostar de tudo isto...


segunda-feira, 6 de junho de 2016

"A DEVOTA E A DEVASSA", DE FERNANDO PESSANHA

Desde que terminei a leitura de todas as obras de Eça de Queiroz que não lia um livro onde as palavras dançassem da forma que o fazem em "A Devota e a Devassa", do escritor algarvio Fernando Pessanha.
Nesta pequena (grande) obra, as frases harmoniosamente retratam uma época histórica e brincam com a moral e os costumes de um casal nobre, contando-nos a sua história de amor em dez delirantes e enigmáticos episódios.

Não consegui expressar-me de outra forma quando acabei de o ler:
- "Amei!" - disse ao escritor por mensagem privada e digo-o aqui publicamente.

"A Devota e a Devassa" é um pequeno livro com apenas 68 páginas.
É uma novela (breve, como diz o autor).
É um romance de época concentrado e que nos deixa com vontade de ler 300 ou 400 páginas com mais histórias da vida de D. Amélia, D. António e D. Nuno, as 3 personagens principais.
É um retrato divertido da sociedade do século XVIII, pintado através de uma escrita fabulosa de um escritor muito talentoso.

É impossível fazer um resumo da sua história sem desvalorizar o livro que a conta.
Só lendo perceberão o que aqui escrevo e espero que esta maravilha literária chegue em breve às mãos de milhares de leitores portugueses. Quem gosta de ler merece esta bomba de oxigénio literário.

MUITO OBRIGADA, Fernando Pessanha, por ter escrito esta pequena maravilha!

Outra obras do autor:
- "Encontro Improváveis", editado pelas Edições Mandil
- "Hotel Anaidaug", editado pela 4Águas Edições e adaptado ao cinema pela Paradoxon Produções
"O Pianista e a Cantora", editado pela Coolbooks