quinta-feira, 26 de maio de 2016

"AO SOM DOS TAMBORES", DE SUSANA SILVA

Nos últimos dias, tenho andado dedicada à leitura do livro "Ao som dos tambores", de Susana Silva, editado pela Chiado Editora.
Este livro, o primeiro da autora, conta-nos uma história de aventuras e mistérios, bem como a forma como um grupo de amigos e suas famílias se vêm neles envolvidas.

Tudo começa numa manhã aparentemente normal.
Gil acorda e prepara-se para ir para a escola quando descobre que está completamente sozinho. E basta sair para a rua para perceber que não foi só a sua família que desapareceu, mas todos os habitantes da sua terra, a qual parece subitamente deserta e abandonada.

E, a partir daí, a sua vida assume contornos diferentes e inesperados, numa luta pela sobrevivência e pela descoberta do que está acontecendo no mundo e do porquê de apenas algumas pessoas conseguirem manter-se "vivas".

Nesta aventura, muitas surpresas vão acontecer e Gil, juntamente com os seus amigos, vai ter um papel fundamental na resolução dos misteriosos acontecimentos.


sexta-feira, 20 de maio de 2016

#FACEFORGREEN NOS FESTIVAIS DE MÚSICA DE VERÃO

A Sociedade Ponto Verde tem este ano um movimento social a que deram o nome #FaceForGreen e que pretende incentivar os participantes dos Festivais de Música de Verão a combater o desperdício de recursos, tomando atitudes mais verdes (logo, conscientes e sustentáveis).

Para mim, este movimento nacional é uma iniciativa inovadora de grande valor, uma vez que, indo ao encontro dos interesses e necessidades dos jovens, procura transmitir uma mensagem ambiental, responsabilizando-os pelo espaço onde decorrem os festivais e pelos recursos que lá estarão disponíveis.

Para isso, a Sociedade Ponto Verde propõe que todos se empenhem em 6 metas principais durante os festivais, desafiando ainda que tirem fotos suas com a cara pintada de verde e as partilhem pelas redes sociais com o hastag #FaceForGreen, mostrando a todos que está a colaborar com a iniciativa.

E há ainda outra forma de "pintar a cara" pelo movimento: clicando em FACEFORGREEN.

Como não sei se irei a algum festival, aqui deixo já o meu contributo:


quarta-feira, 18 de maio de 2016

APRESENTANTAÇÃO DO LIVRO "AMA-TE", DE GUSTAVO SANTOS

Pretendo ser veículo de espaços e tempos dedicados ao amor próprio e ao encontro com o outro e com o Universo, nasceu em abril o projeto AMATE.

Este projeto, semeado aqui em Quinta do Anjo (concelho de Palmela), surge como um sonho concretizado, um bebé gerado por uma mulher de energias positivas e espírito universal.
E assim se apresenta a quem ouça conhecê-lo:

"Somos muito e somos muito pouco do que poderíamos ser. 
Falta-nos ficar dentro de nós e partilhar com os outros, o que temos em abundância, com amor. É aí que o crescimento acontece! E é aí que somos o melhor de nós próprios.
AMATE é esse tempo e esse espaço.
É sermos diferentes e fazer da diferença todos os dias num equilíbrio superior de quem ama o que tem para amar.
Aqui as experiências acontecem como ramos de uma árvore. Aqui descobrimos até onde consegue o ser humano ir e entregar-se ao universo que o ampara.
Aqui a única lei é a da vida! É a escolha na forma de sermos únicos.
Entra, a porta está aberta, e AMATE..."


E foi este projeto de partilha que trouxe o escritor Gustavo Santos até à minha zona num evento muito aguardado e que superou as minhas expetativas.
O evento anunciava a apresentação de "Ama-te", o mais recente livro de Gustavo Santos, mas cedo se revelou muito mais do que isso, espalhando-se e partilhando-se energias de paz, tranquilidade, coragem, motivação e, principalmente, amor.






segunda-feira, 16 de maio de 2016

"ADOTAR UMA RUÍNA" E O MERCADO ROMANO EM TROIA

Logo no início deste ano letivo, a turma da minha Matilde (5.º ano) concorreu ao projeto "Adota uma ruína" e foi uma das duas selecionadas, envolvendo as disciplinas de Português e Geografia/História de Portugal (professores Carla Lima e António Chitas).

Este projeto, desenvolvido pelo "Troia Resort", pretendia promover o contacto direto entre as Ruínas Romas de Tróia e a população que o rodeia, convidando a comunidade escolar a adotar um dos seus núcleos, no qual incidiram diversas ações teorico-práticas.

Foto retirada do blogue do Troia Resort

No âmbito deste projeto, a turma participou em diversas atividades, como ações de formação e de sensibilização em sala de aula e nas ruínas, visitas guiadas, jogos e limpeza/conservação do espaço arqueológico, as quais culminaram com uma peça de teatro apresentada no "Mercado Romano".


sexta-feira, 13 de maio de 2016

"DE NEGRO VESTIDA", DE JOÃO PAULO VIDEIRA

Há mais ou menos 12 horas que ocupo parte do meu tempo a pensar numa forma de começar este post sobre a primeira obra escrita por João Paulo Videira.
Na verdade, ainda não tinha terminado a sua leitura, já ganhara vontade de escrever sobre ela, mas a sensação de que qualquer frase inicial não lhe iria fazer jus levou-me a esperar pela (suposta) ideia luminosa.
Não apareceu!
Por isso, resumo: "De negro vestida" é uma obra memorável!!!

Desta vez, não me apetece começar por resumir o livro, criando uma nova sinopse que vos prenda e vos convide à leitura.
Começo, em vez disso, por dar a minha humilde opinião sobre uma história que me prendeu do início ao fim e que, solidificando o que já sentira com a leitura de "A Paixão de Madalena", me transformou na fã número 1 deste autor português.


Falar sobre as obras de João Paulo Videira é um motivo de orgulho e, ao mesmo tempo, uma responsabilidade, Confiou em mim para o fazer e muito de honra esta sua confiança.
As histórias que este homem/professor/escritor nos conta são ricas e penetrantes por si só, mas intensificadas por uma forma de escrever envolvente e, simultaneamente, simples e suntuosa.

"De negro vestida" é novamente um hino ao valor da mulher, à sua dignidade e importância, à sua tenacidade e coragem, às características que são nela instintivas e às suas (nossas) capacidades.
É um livro que põe no centro uma mulher simples e faz todo o mundo girar à sua volta.
É um consistente encadeamento de histórias de vida, de reflexões, de momentos de humor e de ternura,.. É um romance, um livro sobre o amor e as paixões. É um mundo de pequenas vidas que se contam porque cruzam a de Maria de Lurdes, a sua personagem principal.
E é esta a mulher que o autor premeia nesta obra, rodeando-a de muitas outras personagens ricas em sentimentos e vivências. É esta a mulher de quem o narrador fala, com quem chega a cruzar-se e que vigia de perto, deixando em dúvida a sua participação/influência na história que conta.
Os cenários quase se veem ao longo das páginas. Não são lugares incomuns, nem identificam necessariamente esta ou aquela localidade, mas visualizam-se as cenas sem necessidade de descrições pormenorizadas, quase como se fizessem realmente parte das personagens.

segunda-feira, 9 de maio de 2016

DESAFIO LIEBSTER AWAR (TAG)

Como já sabem, faço parte do grupo de blogger "BLOG À MESA", onde interagimos uns com os outros, nos conhecemos e partilharmos experiências, sempre num espírito de interajuda.
Numa das publicações do grupo, a Ana Azevedo, do blogue "Anas há Muitas", deixou-nos uma nova TAG e eu aceitei o desafio. No entanto, pensando que as respostas poderiam ser muito longas e aborrecidas por escrito, optei por gravar as respostas em vídeo, o qual publiquei no canal Youtube.

Ora vamos à TAG.


REGRAS:
- Deixar link de quem nos indicou;
- Colocar a imagem do selo no post;
- Escrever 11 factos sobre si;
- Responder às perguntas de quem te indicou;
- Fazer 11 perguntas para os blogues que indicar;
- Indicar de 11 a 20 blogs com menos de 200 seguidores.

AS MINHAS RESPOSTAS


domingo, 1 de maio de 2016

10 RAZÕES PARA VISITAR PALMELA


Nasci em Setúbal e por lá vivi até aos 3 anos de idade.
Nessa altura, o meu pai foi convidado para tocar viola baixo num grupo de Palmela e nós viemos morar para esta bonita vila. Ou seja, fui adotada como "palmeloa" há 35 anos atrás e considero Palmela a "minha terra". (Apesar de gostar muito de Setúbal, do rio e da serra.)

Palmela é uma vila antiga, histórica e arquitetónica, com muito cariz cultural e bons produtos regionais.
É sede de um concelho enorme e diversificado, com zonas mais urbanas e outras muito rurais.
Neste momento, acho-a muito "velhinha" e a precisar de investimento jovem e de recuperação de alguns edifícios, mas acredito que a veremos em breve completamente viçosa e repleta de gente nas ruas.

Acho que a minha vila merece a visita de toda a gente e tenho a certeza de que os visitantes e turistas ficam com Palmela no coração. Por isso, vou deixar-vos aqui 10 razões para visitarem a minha terra. (Se aceitarem o desafio e passarem por cá digam qualquer coisinha!)

1- AS FRUTAS DE PALMELA SÃO MARAVILHOSAS
Temos uvas muito deliciosas com as quais se produzem vinhos de qualidade e reconhecidos nacional e internacionalmente. Temos a famosa "maçã riscadinha", as ameixas, os alperces, as peras, os morangos, os figos e os pêssegos. Com estes frutos são produzidas compotas e outros doces regionais.