quinta-feira, 14 de julho de 2016

"DESASSOSSEGO DA LIBERDADE", COLETÂNEA DE CONTOS

Já faz algum tempo que recebi da editora Livros de Ontem a oferta da coletânea de textos "Desassossego da Liberdade", que surgiu como resultado do programa Guest Bloguer, que pretendia envolver os blogues de literatura na organização de uma obra literária.
Desta forma, em colaboração com Sofia Teixeira, administradora do blogue BranMorrighan, a editora lançou este livro em maio de 2015 no âmbito do projeto Crowdpublishing, numa iniciativa que apoia a Associação Burricadas com 30% da receita a reverter para o Abrigo do Jumento.

Este livro, iniciado com notas do editor e da blogger, inclui um conjunto de 12 contos muito diversificados e escritos por diferentes autores.
Nestes, incluem-se 5 escritos por autores consagrados no nosso país: Manuel Jorge Marmelo, Carla M. Soares, Pedro Medina Ribeiro, Samuel Pimenta e Nuno Nepomuceno.
Fazem também parte da coletânea 5 contos escritos por novos autores, aos quais foi dada oportunidade de publicação a partir de um concurso promovido pelo blogue de Sofia Teixeira que premiou os melhores contos a participar.
Desta forma, podemos conhecer a escrita de Eduardo Duarte, Márcia Costa, Cláudia Ferreira, André Mateus e Márcia Balsas, que muito bem se enquadram nesta obra, com uma belíssima prestação, à altura da restante equipa de autores.

Para além destes, surgem ainda 2 contos escritos por artista do mundo musical: David Santos (dos Noiserv) e Guillermo de Llera (dos Primitive Reason).



De uma forma geral, posso dizer que gostei bastante de todos os contos deste livro, quer dos escritos pelos autores consagrados, quer pelos novos escritores.
Apesar da enorme diversidade de sub-temas à roda da grande temática da liberdade, todo o livro surge coeso e expressivo, prendendo a atenção do leitor, que fica sempre na expetativa de mais um conto.
No conjunto dos 12 textos são abordados diferentes assuntos (entre os quais a liberdade de expressão, a criatividade, os divórcios/separações, a imprensa, o suicídio, as doenças modernas...) em muitos casos com recurso a ironias, metáforas, piadas e provocações.
Alguns dos textos surgem como prosas poéticas, onde os sentimentos e sentidos são chamados a compreender os conteúdos e as palavras.

Dos contos dos autores consagrados, o meu preferido foi, sem dúvida, o de Samuel Pimenta, com o título "Os rios que nos levam".
É um conto escrito de forma pouco convencional, cujas cenas surgem sem a normal ordem cronológica, mas tão bem encadeadas umas nas outras que quase conseguimos ordená-las instintivamente e compreender o que as liga entre si.
O enredo é aparentemente simples, mas perturbador, baseado em ações quotidianas de um grupo de pessoas, que surgem em torno de uma atitude fatalista da personagem principal.
Só mesmo lendo é que é possível perceber a grandeza deste conto.

Dos contos dos novos autores, o meu preferido foi "Acromegalia", de Eduardo Duarte, que conta a história de dois irmãos que durante toda a vida se apoiaram mutuamente e que têm de lidar com as dificuldades cognitivas de um e a doença de Alzeimer do outro.
Achei este conto fantástico!
Além da excelência na escrita, Eduardo Duarte consegue uma história comovente, doce e profunda, cheia de metáforas e frases bonitas, contada numa narrativa (quase) poética.
O autor consegue falar-nos sobre duas doenças mentais de uma forma, ao mesmo tempo, realista e com sabor literário, tendo por base a amizade forte e verdadeira entre dois irmãos.
Fiquei com muita vontade de ler uma obra completa deste autor.

A Livros de Ontem e a Sofia Teixeira estão mesmo de parabéns pela composição desta obra, ilustrada por João Pedro Fonseca e que merece mesmo a nossa salva de palmas.

Sem comentários :

Enviar um comentário