segunda-feira, 27 de junho de 2016

"AS GOTAS DE UM BEIJO", DE CARINA ROSA

Não é novidade para ninguém que o meu género literário preferido é o romance.
Desde sempre que gosto de ler livro que contem histórias de amor, que falem sobre relações entre as pessoas, que apresentem as suas vidas e experiências, exponham o que sentem, fazem e pensam.
E é decididamente neste género literário que se enquadra um dos livros que devorei na semana passada. Falo de "As gotas de um beijo", belissimamente escrito por Carina Rosa e editado pela Alfarroba Edições, minha parceira.

A história deste livro tem como personagem principal e central o honesto e meigo David,
Este é um homem solitário e apaixonado por carros antigos que, após um divórcio inevitável e conflituoso se apoia bastante em Diana, uma amiga de sempre (e para sempre) com quem tem uma relação estreita e segura.

É com ela que David partilha gostos, interesses, bons e maus momentos, segredos e medos, até conhecer Laura e sentir esta relação quebrar-se e mudar de rumo.

Laura é uma mulher atraente e enigmática, por quem David sente uma empatia muito grande desde o primeiro olhar e das primeiras palavras, sentimento desde logo recíproco e que despoleta uma paixão envolvente como há muito nenhum dos dois vivenciava.

Envolvido nesta relação, David não se apercebe de que Laura esconde uma vida paralela, da qual não se orgulha nem consegue sair.


Como não gostar deste livro? É impossível!

Carina Rosa, autora portuguesa dos livros "A sombra de um passado" e "O intruso", que entrevistei AQUI, escreve muitíssimo bem, usando uma escrita fluída e cativante, bem equilibrada em diálogos, narrações e descrições, com um vocabulário rico mas acessível e com o poder de nos surpreender, mesmo em enredos simples e com personagens comuns.

Apesar de ter gostado bastante dos outros livros, acho que "As gotas de um beijo" é ainda melhor, com maior qualidade a vários níveis: narrativa, enredo, personagens, encadeamento da ação, capa, qualidade da edição...

Durante toda a leitura, senti uma simpatia muito grande por David e por Diana, admirando a relação mantida pelos dois ao longo dos anos.
Infelizmente, já não senti o mesmo por Laura, nem sei bem porquê (confesso!).
Achei-a uma mulher um pouco dissimulada, que assumiu diferentes características de personalidade ao longo da história. Talvez a ideia tenha sido mostrar uma evolução pessoal ou aumento de autoconfiança e de autoestima, mas não foi isso que senti que estava a acontecer.

No entanto, esta "antipatia" não interferiu com o prazer que tive ao ler esta obra e recomendo vivamente a sua leitura.

1 comentário :

  1. Olá linda,
    Gostei muito da tua opinião.
    Estou muito curiosa com este livro.
    Beijinhos e boas leituras

    ResponderEliminar