sábado, 16 de janeiro de 2016

DETALHES TÃO MEUS!

Não sou pessoa de ligar a pormenores, nem de gostar de símbolos ou de pequenos apontamentos.


Na vida do dia a dia, não tenho rotinas rígidas, não gosto de ambientes e conversas formais, adiro facilmente a saídas e passeios impulsivos e inesperados. Gosto de ter calma e paz suficientes para admirar as pequenas belezas com que me cruzo e de me apaixonar por pessoas, momentos ou palavras.

Gosto de me vestir com simplicidade, de me calçar com conforto e de complementar com peças especiais.

Adoro pessoas leves e livres, de alma pura e vida serena, que inspiram confiança e que sorriem com todo o corpo.

A minha casa é grande, arejada e ampla, tem uma decoração simples e modesta, com mistura de algumas peças sentimentais com outras utilitárias, num ambiente descontraído e limpo de cerimónias e moralismos.
É um dos meus portos de abrigo e sempre que ando às voltas com limpezas e arrumações, encontro detalhes com significado e peças que são a "minha cara".

E hoje resolvi vir mostrar alguns que acabei por fotografar ontem, como que a querer preservar imagens que fazem atualmente parte do meu quotidiano...

 Uma peça bem velhota, que sempre vi em casa dos meus avós maternos e que herdei com o máximo carinho e orgulho. Tem já algumas marcas e mazelas, mas que não prescindo de a ter à vista,
pois lembram-me duas pessoas que ainda amo profundamente.

 Dois quadros que me foram oferecidos no dia do meu casamento por uma amiga muito querida. 
São pinturas sobre vidro que representam duas pessoas do povo, humildes e trabalhadoras (tal como eu!).
Já estiveram em várias paredes da casa, mas sempre bem à vista e em lugar de destaque.

 Um gato de madeira que tenho no chão, encostado a uma parede na entrada da casa.
Pintado com motivos quase étnicos, comprado num momento de ternura, este gato foi o primeiro a entrar cá em casa, ainda nem sabia que me iria um dia apaixonar por duas gatas lindas.

 Na minha (atual) nova vida, o meu quarto é o mais pequeno e tem flores por todo o lado.
Na parede há flores que herdei, na cómoda há outra feita pela Matilde na escola.
E como os meus alunos me consideram cheirosa, tenho outra peça floral oferecida por um deles.

 A minha máquina preferida da casa já me faz companhia há uns bons 5/6 anos. É de fácil utilização e proporciona-me momentos deliciosos e especiais. Adoro café e é tão bom tê-lo sempre à mão!

 Este é um pormenor da decoração do móvel grande da sala. São 8 as prateleiras cheias de livros, muitos deles ainda por ler. São amigos para todas as horas e que fazem muita companhia. Não me desfaço deles, a não ser para oferecer ou emprestar a pessoas especiais em quem confio.

 Um porquinho mealheiro, que já me valeu num destes meses.
Dois frascos onde guardo frases especiais que tiro de livros e registo de pessoas e momentos 
que agradeço a Deus fazerem parte da minha vida.
Três globos de neve que comecei a colecionar desde que vivo sozinha com os miúdos.

Um quadro pintado a óleo pela minha irmã com a imagem do castelo mais lindo de Portugal: o de Palmela.
Juntamente com outros três, representando outro castelo e duas igrejas, foram-me oferecidos pela mana e cunhada e há mais de 15 anos que olho para eles diariamente.

2 comentários :