quinta-feira, 7 de janeiro de 2016

CANTAR AS JANEIRAS EM PALMELA

Porque as tradições são a cultura das gentes e das terras, que todos nós recebemos de herança e que devemos valorizar e aplaudir, sei que este ano vou aceitá-las em mim com a ternura e a esperança de um neto que as herdou dos avós queridos.

E Palmela, a terra que me acolheu e adotou desde os três anos de idade, onde me tornei miúda e depois mulher, que adoro de coração aberto, tem tudo para deixar ao seu povo uma herança desmedida.

Com uma autarquia sempre preocupada com a cultura e a educação, assumindo-as como pilares de uma sociedade instruída, interventiva e promissora, Palmela é um oásis que oferece às suas gentes e aos forasteiros (que a visitam e se apaixonam por ela) um conjunto excelente de tradições, saberes e produtos regionais que todos admiramos.

Porque é nas mãos dos jovens e adultos que a cultura popular da vila sobrevive e se conserva, ontem foi com orgulho de neta que assisti ao "Cantar as Janeiras" na minha terra, uma tradição recuperada em 1995 pela autarquia, com o apoio do movimento associativo local.

E foi bom percorrer as ruas da vila, ouvindo cantar e saudar a população.
Foi bom regressar ao seio das gentes que me viram crescer em corpo, alma e sabedoria.
Foi bom (voltar a) fazer parte da terra que adoro como minha.

Uma salva de palmas para quem teve a coragem de sair à rua numa noite chuvosa e fria para fazer cumprir a tradição. Outra salva de palmas para todos os que tornaram possível desfrutar de duas horas de aconchego e luz na vila.


Sem comentários :

Enviar um comentário