quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

"TERRA", UM CONTO DE SÁ NINGUÉM

Há nove dias atrás recebi um email inesperado, de um autor que não conhecia e que escreveu para me apresentar a sua obra. Senti-me muito lisonjeada. Mesmo!! (E ainda não tinha lido nada do que escreve!)

Apresentou-se como Sá Ninguém, pseudónimo com que assina os seus textos, que começou a escrever há já alguns anos.
No seu blog, também "Sá Ninguém", publica desde 2008.
Em 2014 publicou o seu primeiro livro, "TERRA", um conto em formato ebook que pode ser adquirido em vários sites e que me enviou para que eu desse a minha opinião, mesmo antes de ser publicado em papel. (Agora espero estar presente no lançamento....)

E é desta forma que o apresenta:

"Novembro e Petra mudam-se para Isle of Man em busca de paz e distância do que deixam para trás.
Por entre a paisagem e os cheiros da ilha, os caminhos teimam em cruzá-los. 
Uma viagem de mudança torna-se viagem de (re)encontro; e o meio do mar torna-se terra fértil."

Neste momento, depois de o ler, quero resumi-lo desta forma pessoal, tão minha:

"Duas almas gémeas, em dois corpos diferentes, encontram-se por acaso num local inesperado, para onde ambas fogem à procura de uma vida nova e de um futuro risonho."

Antes de mais tenho de dizer o que já disse a Sá Ninguém: ADOREI o conto!!!
Devorei-o ontem na hora do almoço, deixando apenas as últimas páginas para hoje. E, desejosa de saber o final, acabei-o mal cheguei a casa.

"Terra" é uma história de amor, um conto de fugas e encontros, um romance de traços poéticos.
Gostei de conhecer os pontos em comum entre Novembro e Pedra e sei que a relação que vão construindo poderia bem dar uma história muito maior do que um conto, pois todo o enredo tem potencial para isso.

Gostei muito da escrita de Sá Ninguém.
Apesar de ter uma forma de escrever diferente da minha, achei-a cativante e (quase) sedutora.
É uma prosa que toca a poesia e que parece ter música por detrás. As palavras parecem crescer umas em função das outras, ligadas, como que formando rios sem as vírgulas a marcar passo.
Estranhei a falta de pontuação, ou não fosse eu a "mulher das vírgulas", mas acabei entendendo-a como um estilo pessoal do escritor e acabei por me encantar com a forma como soava romântico e com uma sonoridade própria.

Só posso, pois, recomendar a leitura deste conto, bem como aconselhar uma viagem pelo blog do autor, prometendo momentos de sentimentos fortes que não deixam, de todo, o leitor indiferente.

segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

A BORDO DE UM LIVRO - BARCELONA

É em Barcelona que se passa a segunda parte do livro "A Segunda Pele da Acácia Mimosa", de Ana Gil Campos.
Nesta cidade, Sara, a personagem principal, encontra um novo rumo para a sua vida, enquanto passeia pelos locais mais emblemáticos, deixando-se encantar pela magia das construções, dos espaços e das gentes, numa viagem que se torna inesquecível.
Aqui deixo imagens de alguns dos locais referidos no livro.





Imagens retiradas da Internet

Barcelona é uma das principais cidades de Espanha, daquelas que vale mesmo a pena visitar.
Digo-o de coração!!
Em 2010 tive oportunidade de lá passar uns dias, numa viagem maravilhosa que fizemos em família, na qual visitámos várias cidades espanholas, e adorámos tudo o que vimos e vivemos por lá.
Parece que foi há tão pouco tempo e já passaram quase 5 anos...

Foto tirada no Parque Guell

domingo, 25 de janeiro de 2015

"AMOR DE PERDIÇÃO", EM DOWNLOAD GRATUITO

Há já algum tempo que não participo na revisão de nenhum livro, mas continuo ligada discretamente ao Projecto Adamastor.
E é por lá que podem aceder gratuitamente ao tão conhecido livro "Amor de Perdição", de Camilo Castelo Branco, disponibilizado em formato ebook:

Clicar na imagem para link direto

Título: Amor de Perdição
Autor: Camilo Castelo Branco
Data Original de Publicação: 1862
Data de Publicação do eBook: 2015
Capa: Ana Ferreira
Imagem de Capa: The Letter, de Julian Alden Weir
Revisão: Ricardo Lourenço e Cláudia Amorim
ISBN: 978-989-8698-25-4

E este é apenas um dos clássicos portugueses disponíveis por lá.
Uma salva de palmas para este projeto, tão próximo do público e com tão grande valor na promoção dos clássicos escritos na nossa língua.

LEONOR ALGODÃO LOJA E CAFÉ

Conheci a Vanda Cruz em 2013 através das suas peças personalizadas.
Encomendei-lhe uma agenda para a minha mãe e ganhei uma amiga sorridente e lutadora, que gere a "Leonor Algodão" com muita dedicação e garra.
O que começou por ser um entretenimento e uma forma de minimizar o problema do desemprego, tornou-se numa potente lanterna que lhe mostrou o caminho para concretizar os seus sonhos, abrindo terreno para o nascimento da Leonor Algodão Loja e Café.



E foi ontem que inaugurou este seu espaço comercial, onde a arte das linhas e tecidos se cruza com doces caseiros e aromas a café e chá, criando um ambiente de conforto e paz onde o tempo parece deixar-nos parar e desfrutar do prazer de ser e estar.

Gostei muito de conhecer a loja da Vanda e desejo-lhe o maior dos sucessos, carregadinho de felicidade e muitos momentos de luz e amor.
Sei que este novo espaço tem tudo para dar certo e que a Vanda o vai gerir sempre com a força do coração e a energia que lhe é natural, por isso sinto-me honrada por ter feito parte deste dia especial e por ter sido tão bem recebida por lá.



Deixo algumas fotos magníficas da AngelaSilva Photografia, que mostram bem as características especiais deste novo espaço comercial de Setúbal.
Não hesitem em visitá-lo!




 




quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

EU E O TAROT, APÓS UMA CONSULTA COM A ISA

Há uns dez anos atrás, passei por uma fase em que andava apaixonada por tudo o que se relacionava com Tarot e com cartas. Sentia vontade de aprender, queria experimentar e sentia-me tentada a desenvolver o meu lado mais intuitivo.
No Natal tive uma surpresa: o meu marido ofereceu-me um bonito baralho de cartas de Tarot e um livro que explica como interpretá-las.
Ainda andei entretida durante uns tempos, mas os miúdos eram pequenos e talvez o meu lado espiritual e intuitivo não estivesse (ou seja??) assim tão poderoso, pelo que acabei por colocar tudo de parte.

E só voltei a pensar no assunto quando andava a preparar os passatempos de Natal aqui para o blog.
Conheci a Isabel, do TAROT DA ISA TAYLOR, gostei das boas energias que emanava, virtualmente falando, e o bichinho voltou a despertar em mim.

E foi com grande entusiasmo que aproveitei a sua oferta de uma sessão de Tarot pelo telefone, que acabou por acontecer ontem.
Estava um pouquinho nervosa (confesso) e não sabia bem o que iria perguntar, pelo que, após ter dado alguns dados necessários para a consulta (nome completo, data de nascimento e pouco mais) resolvi apenas pedir à Isa que lançasse as cartas para me dizer como será o meu ano 2015.
E o resultado foram 2 boas surpresas!!

Primeiro, gostei de saber que as cartas eram quase todas muito boas e poderosas: um rei, dois valetes, o Mundo... Cartas que indicam que sou uma pessoa guerreira e que vou atrás daquilo em que acredito e sonho, dando dicas positivas sobre aspetos diversos como a saúde, o trabalho ou a família. (Parece que tudo vai correr bem este ano!!)

 Exemplos retirados da internet

Depois, foi perceber que a carta menos positivas, parece que a única, mostra alguns períodos em que estarei mais deprimida, o que não me parece nada estranho tenho em conta o que conheço de mim. Fiquei foi espantada por aparecer esta carta do "deprimido", que deu à Isa a informação que tenho tendência a isolar-me e a afastar-me dos que amo quando estou mais em baixo e que, mesmo em momentos em que tudo parece ótimo na minha vida, tenho fases em que nada parece suficiente.
Serei assim tão fácil de "ler"?

Resumindo, posso dizer que gostei dos 20 minutos em que estive ao telefone com a Isa e que não se perde nada em arriscar experiências novas, pelo que aconselho a irem à sua página de facebook e marcar também uma sessão. É que, além do que "lê" nas cartas, a Isa é uma boa companheira de conversa e dá-nos algumas dicas de como seguir o nosso caminho com um sorriso nos lábios.

quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

CAMPANHA YOUZZ E L'OREAL

Há já bastante tempo que faço parte da YOUZZ NET Portugal, uma comunidade online que recolhe a opinião e conhecimentos dos consumidores inscritos, através do preenchimento de questionários, dando-lhes a oportunidade de experimentar alguns produtos e serviços, em troca de opiniões sinceras e partilha de resultados.

Embora não tenha ainda sido escolhida muitas vezes como youzzer, as experiências que tive até agora foram muito positivas, pelo que continuo a aderir às propostas que recebo e deixo-vos aqui a possibilidade de também aderirem:



De momento, estou a participar na Campanha Creme com Óleos Essenciais, da L'Oreal e estou com grandes expetativas, já que desta vez irei contar com a preciosa ajuda da minha MÃE.

E porque a escolhi?
Primeiro, porque a adoro e acho que merece o miminho de receber um creme assim.
Depois, porque tem a pele mais bonita, macia e luminosa que conheço, praticamente sem rugas apesar dos seus 53 anos e, nos últimos tempos, não lhe tem podido dar a importância que merece.
Estou ansiosa por ver-te brilha, mãe linda!!

E estes são os produtos que compõe o kit da campanha:


Alguém daí gostaria de receber uma amostra para experimentar e um vale de desconto?

terça-feira, 20 de janeiro de 2015

NOVA PARCERIA COM A EDITORA ÓMEGA

Foi por acaso, numa daquelas viagens sem rumo pela net, que conheci a Editora Ómega.

Gostei do que li sobre esta editora, que nasceu em 2010 e que acredita que "São os autores que fazem grandes editoras (...)", pelo que preserva os objetivos de acompanhar a evolução das carreiras dos seus autores, não só no mercado literário mas também no ciberespaço e na sua participação em eventos públicos, bem como lançar novos autores que entrem no espírito da equipa.

A Ómega pretende abranger públicos de todas as idades e preferências literárias e ajuda na projeção internacional da Língua Portuguesa, defendendo valores como a criatividade, o otimismo, a ambição, o rigor, a inovação e a excelência.

No seu site, encontrei alguns livros que chamaram a minha atenção e resolvi contactar os seus responsáveis para procurar uma forma de estabelecermos parceria.

Recebi resposta favorável no interesse da editora, que logo me apresentou a sua revista, a INSIGHTS, que existe deste abril de 2013, com periodicidade mensal.

A INSIGHTS é uma nova revista do mundo editorial, que existe nos formatos papel e digital (clicar na imagem), que se debruça sobre temas como a Saúde (medicina convencional e alternativa), o Desenvolvimento Pessoal e o Bem-Estar e que inclui artigos provenientes de vários países de Língua Portuguesa,  Está à venda em diversos pontos do país e pode ainda ser feita a sua subscrição online, com direito a uma surpresa.



Em relação aos livros, que são vendidos online através da Livraria "Crivo das Letras", escolhi alguns para aqui apresentar, entre todos os que gostaria de conhecer melhor.


Título: "Ascenção e Queda de um Bipo"
Autor: Luisa Coutinho

Sinopse: 
Num conturbado período de crise religiosa e de afirmação do poder político, D. frei Manuel de Santo António, primeiro bispo de Malaca a residir em Timor, foi uma figura marcante na história religiosa e política de Timor. Homem controverso, viveu convictamente, entregando-se apaixonadamente às suas causas, crenças e valores. Abdicou de uma vida confortável e de uma brilhante carreira académica, para se dedicar à evangelização de Timor. Acreditava servir os crentes timorenses, a Igreja e a soberania portuguesa na ilha. Procurou dilatar e consolidar a soberania portuguesa na ilha, cristianizar toda a ilha de Timor e entregá-la pacificada à Coroa portuguesa. Foi governador e combateu lado a lado com os régulos timorenses na defesa dos interesses nacionais. Em tempo de crise moral e disciplinar, D. frei Manuel foi sempre intransigente contra o declínio moral de muitos missionários dominicanos, que recriminava publicamente, grangeando inimigos ferozes na Ordem de São Domingos, da qual fazia parte. Na Índia e no Reino, eram conhecidos os seus arrebatamentos. Impossibilitado de reprimir eficazmente as falhas cometidas pelos regulares, D. frei Manuel viu-se muitas vezes envolvido em conflitos violentos com os seus irmãos dominicanos. Passou vinte e quatro anos em Timor e travou muitas batalhas, em várias frentes, para poder cumprir a sua missão. Após uma longa e exaustiva dedicação, foi expulso da ilha que escolheu para sua terra. Quando ia a caminho do exílio, o bispo de Malaca tentou ir para o Sião e para a Cochinchina, para a frente da batalha que opunha o Padroado Português do Oriente à Propaganda Fide, mas foi-lhe negada essa possibilidade. Permaneceu em Goa, até ao fim dos seus dias, e continuou a defender até à exaustão os princípios pelos quais pautou a sua vida. D. frei Manuel de Santo António morreu em pleno combate, tal como viveu! Comemoram-se 350 anos do seu nascimento.

Título: "Colaço e Cufino"
Autor: Paulo Mira Coelho

Sinopse:
Culaço e Cufino é uma alegoria assente em dois irmãos que representam muito daquilo que é o povo português, na sua passividade, no seu desejo contido de revolta,na graça que empresta a todas as anedotas e a muitas das situações que põem a ridículo os governantes, e os pequenos episódios da vida de todos os dias.
O Culaço sente-se um peão nas mãos do Criador. É um autodidacta, indiferenteà sociedade, porventura bipolar, culto, solitário, desabitado pelas mulheres e porDeus, a quem ele in extremis desafia para um jogo de xadrez. O Cufino é um recatado pároco, para quem os pecados se resumem à sua incontrolávelsede de sexo, e as virtudes a uma postura solidária para com os paroquianos traídosno recato da sua sacristia.
Deus parece estar alheio aos desafios da humanidade, pelo que a primeira jogadade Culaço passa pelo assassinato do irmão. Mas Deus não dorme, e de jogada emjogada, os irmãos vão-se aproximando e o Culaço vai mudando, até que a morteos separa, para depois, e perante a eterna gargalhada dos deuses e seu desespero,o nosso herói se sinta na contingência de voltar a “encarnar”... mas num corpo de mulher.
A alegoria passa pelo Portugal de hoje, e pelo caricato de algumas figuras e factosque envergonham um país à beira mar plantado, um terreno escolhido, porventurapor Deus, como palco para a encenação apocalíptica do fim dos tempos. O Culaçotem um pouco de todos nós. Tem a malandrice, tem a voz vernácula, tem o toque desedutor, o jogo de anca, a inventiva, a alegria contida, mas também o desespero, ochorar baixinho, a tendência para o lamento e o miserabilismo de quem não consegueser mais nada do que ninguém!
Culaço & Cufino não é uma história de revolta, nem uma denúncia. É um encolherde ombros de dois homens que representam um povo, cujo principal dom é o desaber esperar. Esperar por melhores dias, esperar que a coisa não piore. Esperar queDeus se resolva a dar uma solução sustentada. Esperar que a paciência acabe, porqueaté lá, vai-se andando!


Título: "É surpreendente"
Autor: Maria de Fátima Veloso

Sinopse:
A vida de Maria de Fátima Veloso decorria naturalmente, motivada pelo amor à dança e ao clube do seu coração, o Sport Lisboa e Benfica. Uma tarde, recebeu a triste notícia que uma das suas ex-alunas estava gravemente doente. A partir desse dia, a sua vida mudou completamente. Os seus objectivos, as suas crenças e todo o projecto de vida que tinha estruturado até então, estremeceram de tal forma que resultaram neste livro. À medida que fenómenos estranhos foram se manifestando no seu quotidiano, tudo foi questionado: O profundo mistério que envolve a vida e a morte; o sentido da vida; os fundamentos sobre os quais as sociedades actuais assentam os seus pilares e as suas esperanças; o sistema de crenças religiosas. Existirá Deus? É apenas uma ilusão que dá ao homem a segurança de que somos amados e que nunca estaremos sós? Morremos efectivamente? Talvez os espíritos existam, mas por falta de sensibilidade nossa, eles não consigam contactar connosco como nós desejaríamos. Este livro não só é um relato fiel de alguns acontecimentos, como pretende dar aos leitores que perderam entes queridos, algum conforto espiritual e alguma esperança. A sua venda reverteria na totalidade a favor de crianças carenciadas e com graves problemas de saúde.
Os direitos da autora associados à venda deste livro, vão na totalidade para o IPO do Porto, serviço de Pediatria
Título: "Travessia"
Autor: Aurora Burial

Sinopse:
Nesta viagem pelo tempo, a autora, tenta um retrato credível do que foi, nascer e crescer num país e à época, com um sistema muito duro e por demais agreste, exigido à classe pobre/trabalhadora; sem contudo, conseguir dominar a sua Alma grande e nobre.Foi um povo repleto de Valores morais e cívicos que cumpria na íntegra; pondoem relevo o amor e respeito pelos seus pais, avós e os mais idosos - hoje, lacuna grande e profunda entre nós. Católico no seu todo e sem hipocrisia. Daí a força e a alegria extraordinárias, que alimentavam o seu dia.As muitas escadas subidas e descidas, as obrigadas viagens (reais), as 'tais' fases amargas infligidas, assim como as dicas impulsionadoras, fazem deste livro leitura obrigatória, incluindo os mais novos, para treino nos trilhos das suas vidas...

EMENTA DA SEMANA

Sem paciência para receitas muito elaboradas e sem saber quando estarei mesmo bem e os dias voltarão a ser a rotina habitual, deixo uma ementa simples, com ingredientes escolhidos com a ajuda do meu Simão.
Bora lá planear!!

Segunda-feira (19/01/2015):
- Jantar - Tagliatelle de salmão, com queijo

Terça-feira (20/01/2015):
- Jantar - Hamburgueres de bovino grelhados, com arroz de cenoura

Quarta-feira (21/01/2015):
- Jantar - Medalhões de pescada cozidos com batatas e legumes

Quinta-feira (22/01/2015):
- Jantar - Peitinhos de codorniz grelhados, com esparguete

Sexta-feira (23/01/2015):
- Jantar - Lulas recheadas estufadas, com puré de batata e abóbora

Sábado (24/01/2015):
- Almoço - Coelho assado no forno, com arroz de espinafres
- Jantar - Salada de atum com macedónia de legumes

Domingo (25/01/2015):
- Almoço - Sandes de delícias do mar, com salada e fruta (merenda de passeio?)
- Jantar - Perú estufado com massa

segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

"A SEGUNDA PELE DA ACÁCIA MIMOSA", DE ANA GIL CAMPOS

Terminei há minutos a leitura do primeiro livro de Ana Gil Campos e, como infelizmente me encontro ainda de cama, não resisti a vir logo partilhar a minha opinião: ADOREI a escrita desta nova escritora portuguesa!
Ana Gil Campos escreve prosa com a mesma musicalidade e profundidade que usam os poetas. Escreve de forma poderosamente carregada de emoções e de pensamentos, sem usar palavras diferentes ou complicadas, nem precisar de cair em sentimentalismos. O seu discurso vai muito para além da história que está a contar. É intenso, ao mesmo tempo que facilmente compreensível. A sua forma de escrever valoriza qualquer história, dando-lhe um impacto inerente às palavras, quase tanto (ou mais) do que o conteúdo.

"A Segunda Pele da Acácia Mimosa" é um bom livro, uma excelente estreia, que me deixou com expetativas muito elevadas enquanto leitora à espera já de uma segunda obra.

Conta a história de Sara, uma arquiteta de sucesso que, numa determinada fase da vida, sente necessidade de se encontrar consigo própria, de dar um sentido novo à sua vida.
Envolvida num negócio de corrupção e num casamento à beira da rutura, Sara regressa à sua terra natal, onde se encontra com o seu outro eu, com o qual regressa a casa para colocar em questão a sua vida atual e passada, ponderando o que quer para o futuro.
Mas precisa ainda de viajar até Barcelona para definitivamente se encontrar consigo própria e perceber o que a faz feliz e o que deve fazer para dar sentido à sua vida.

Na minha opinião, a história está muito bem conseguida.
É cativante, envolvente e dinâmica, revelando muitos conhecimentos sobre a maçonaria em Portugal e no mundo, sem se tornar chata ou massuda.
Os acontecimentos e os espaços estão descritos de forma bem integrada com os pensamentos e emoções das personagens, principalmente de Sara, que acaba por ser a única personagem que ficamos a conhecer bem.
No entanto, sinceramente, não gostei nada do final. Se pudesse, mudaria as últimas dez páginas, pois acho que Sara merecia um final mais feliz e tranquilo, sem revelações de última hora, sem que, dessa forma, a história ficasse demasiado lamechas ou "romântica", tendo em conta todo o crescimento da personagem.
Gostaria ainda de dizer que, durante uma boa parte da história, achei que a mesma iria ter outro rumo, já que pensei que havia uma segunda personagem, irmã gémea de Sara, que teria, supostamente, trocado de vida com ela. Não sei se foi intenção da autora, mas esta minha interpretação acabou por influenciar a minha forma de ver a personagem principal, umas vezes favorecendo-a e outras nem por isso.

Este livro pode enquadrar-se no desafio literário "O primeiro livro".

sábado, 17 de janeiro de 2015

"SEM DIZER ADEUS", DE LINWOOD BARCLAY

A única vantagem de estar doente de cama, se é que lhe posso chamar vantagem, é ter mais tempo para ler, entre sestas e medicamentos, quando a cabeça o permite e a paciência o facilita.
E foi graças à minha já diagnosticada infeção respiratória que terminei a leitura do livro "Sem dizer adeus", de Linwood Barclay.

Este livro é um policial e toda a história anda à volta do desaparecimento misterioso de uma família
de sua casa durante a noite, sem deixar quaisquer vestígios do que possa ter acontecido.
Este drama aconteceu à família de Cynthia, uma jovem de 14 anos que um dia, ao acordar, descobre que a mãe, o pai e o irmão desapareceram, deixando-a sozinha e com dúvidas sobre o que possa ter acontecido. Teria sido um rapto? Um assassinato? Teria ela sido abandonada?
Durante 25 anos, a polícia nada descobriu, pelo que considerou o caso sem resolução, mas Chynthia nunca conseguiu recuperar totalmente, apesar de ter refeito a sua vida com a ajuda de uma tia, nem desistiu de saber o que realmente aconteceu.

Gostei muito deste livro!!!
Há muito que não lia um policial e já não me lembrava como fico verdadeiramente presa à história e atenta a todas as pistas que vão surgindo, apresentadas ou não pelo narrador da história. E foi o que aconteceu com este livro. A partir do momento em que surgiram as primeiras revelações, não mais me apeteceu largá-lo.
A história está contada na primeira pessoa, sendo o narrador o marido de Cynthia, que, como também não está a par do que possa ter acontecido, não precisa de nos esconder nada e acaba por ir conhecendo pormenores ao mesmo tempo que o leitor, o que se revela muito interessante.
A escrita de Linwood Barclay é simples e fluída, mas também intrigante e envolvente, sem se prender com muitos pormenores desnecessários, mas abrangendo vários aspetos da vida das personagens que só sabemos não serem importantes quando descobrimos o que aconteceu.
O livro está dividido em muitos capítulos, o que facilita a leitura, alguns dos quais aparecem escritos a itálico e são muito importantes para a história, constituindo um diálogo entre duas personagens que ficamos quase até ao final sem saber quem são.
Gostei de sentir a força das relações afetivas entre as personagens, as quais são também relevantes para o desenrolar de toda a trama.
E como não posso contar mais, resta-me aconselhar a sua leitura.

Ah...
E referir que, com a leitura deste livro, cumpri o desafio literário "Vamos Doar um Jardim ao Sol" a que me propus para o mês de janeiro, pois ganhei-o de presente da minha irmã, que é MESMO uma pessoa muito importante na minha vida.

sexta-feira, 16 de janeiro de 2015

DOENTINHOS

Estou doente! Ou melhor, estamos doentes. Eu e o meu Simão estamos de cama, com uma valente gripe. Há 2 noites que mal dormimos com dores no peito, dificuldades em respirar, febre, tosse, dores de cabeça. Hoje é o segundo dia que ficamos em casa a tentar recuperar por completo.
Desde segunda-feira à tarde que andava com umas pontadas dolorosas no peito, com falta de ar e vómitos. Como sofro de ansiedade, achei que poderia ser disso, uma vez que se agravavam quando fazia esforço e me zangava e/ou ao regresso a casa.
Na quarta-feira, não consegui tirar o casaco durante todo o dia. Apesar de não sentir frio, ficava desconfortável quando o tirava. No regresso do trabalho, estive muito aflita com dores no peito e quase pedi ao meu marido para me ir buscar pois estava incomodada a conduzir.
Com a chegada da noite, tudo foi piorando e o meu filhote também começou com uma tosse seca muito persistente. E as nossas noites difíceis começaram.
E cá estamos, os dois de cama, com vapores, soro no nariz, xaropes, comprimidos e afins.
Ontem quase nem levantei a cabeça durante todo o dia, com as dores. Dormimos horas e horas os dois e descontrolámos sonos e rotinas.
Esta noite, ele esteve melhor e eu piorei.
Agora estamos de molho, à espera que o corpo recupere, tratados a esta hora e à espera que a medicação faça efeito. As mesas de cabeceira são as nossas companheiras e têm tudo o que precisamos.
Além dos remédios, tenho lenços de papel e livros. E vejo os vernizes que a minha filhota usou ontem nas minhas unhas para tentar animar-me. Também me secou o cabelo, depois de um banho bem quente que me deu alguma energia ao final da tarde.
Não é nada de mais o que temos, apenas fruto da época e das viroses que apanhamos nas escolas, mas fico (quase) impotente e isso faz-me sentir estranha...


terça-feira, 13 de janeiro de 2015

"UM PARAÍSO NO INFERNO", DE LAURA ALHO

No domingo terminei a leitura de "Um Paraíso no Inferno", o primeiro livro editado da escritora portuguesa Laura Alho, que por ela me foi gentilmente enviado.

Este livro conta a história do relacionamento de Rogério e Melissa, um casal que se ama mas que
passa por uma etapa muito complicada do seu casamento, optando pela separação.
Durante esta fase das suas vidas, Rogério e Melissa vão testar os seus sentimentos até ao limite,
Ambos conhecem outras pessoas e são confrontados com situações e acontecimentos que os levarão a refletir sobre o que querem das suas vidas e sobre o que pretendem do futuro, deparando-se Rogério ainda com um encontro inesperado com alguém que pensava conhecer melhor.

Gostei muito deste livro, tendo ficado agradavelmente surpreendida com a qualidade do mesmo, tendo em conta a última experiência de leitura editada pela Chiado Editora.

A escrita de Laura Alho é envolvente e poderosa, com um discurso muito bem estruturado e um ritmo que não deixa espaço para largar a leitura, prendendo-nos durante quase 500 páginas.

O livro encontra-se organizado em pequenos capítulos, aparecendo a história contada a duas vozes: a de Rogério e a de Melissa. Isto permite ao leitor uma melhor compreensão da profundidade da relação entre as duas personagens, uma vez que ficamos a conhecer o ponto de vista de ambos, que se completam contextualizando bem todos os acontecimentos.
Talvez por isto, simpatizei igualmente com ambos os elementos do casal, ficando a torcer para que resolvessem os seus dissabores e encontrassem uma forma de ficar juntos no final.

No entanto, a personagem de que mais gostei foi Marta, a irmã de Melissa, pois, quanto a mim, representa uma figura poderosíssima de conforto emocional e de equilíbrio para a protagonista, assumindo um papel fundamental em toda a história. (Acho que visualizei nela a minha própria irmã, com a qual sei que poderei contar em todas as etapas da minha vida.)

Recomendo a leitura deste livro, que poderá adquirir de diversas formas. Descubra-as aqui.

segunda-feira, 12 de janeiro de 2015

IR AO TEATRO NO DIA DE REIS

Desde que fui trabalhar para a Moita, em 2010, que me lembro sempre de comemorar o Dia de Reis com os miúdos com uma ida ao teatro.

Normalmente, a Junta de Freguesia local oferece a todas as crianças das escolas da freguesia uma sessão de teatro, a que assistem com muita alegria na Sociedade Filarmónica Estrela Moitense.

E foi através destas comemorações que conheci o Teatro Reflexo, que tem sido o grupo de teatro convidado para as referidas sessões e que tem trazido sempre novas peças até às nossas crianças.

Este ano, fui com os meus pequenotes assistir à peça "O Corcunda de Notre Dame" e todos gostámos bastante.



A peça está muito bem encenada, os cenários são, como sempre, simples mas bonitos e muito bem escolhidos e funcionais, o guarda-roupa é excelente e a interpretação dos atores é muito boa.

A história é conhecida dos mais crescidos, mas tem algumas adaptações, bem ao jeito deste grupo cénico.
Percebi, no entanto, que os mais pequenos não a conheciam ainda, talvez porque esta ficou mais famosa graças à adaptação para cinema feita pelos estúdios Disney. Fiquei com vontade de conhecer a história original, que foi escrita por Vitor Hugo, pois também eu apenas conheço esta versão de 1996.

 

domingo, 11 de janeiro de 2015

É TÃO BOM RECEBER MIMINHOS!!!

Pensei preparar esta mensagem para o final do mês, mas não consegui esperar tanto tempo. Tinha mesmo de vir aqui mostrar os mimos que tenho recebido e que deixaram o meu coração bem quentinho.

Começo por mostrar um livro que a minha mana me ofereceu, especialmente para eu poder cumprir o desafio "Vamos doar um jardim ao sol" de janeiro:

Mana, és a maior!!!

Da Editora Livros de Ontem, uma das minhas parcerias preferidas, recebi dois livros fantásticos. Um é infanto-juvenil e já tinha falado dele neste post ("A menina e o espelho") e outro é de poesia ("Misantropia Esclarecida") e foi escrito por Ana Costa.  


Obrigada, Livros de Ontem!

Pelo correio, recebi os seguintes livros que ganhei nos passatempos de Natal de alguns blogs que sigo assiduamente:

Do blog Manta de Histórias

Do blog Linked Books

Do blog Nefertari e os Livros

Recebi ainda um marcador lindo no passatempo de aniversário do blogue "Histórias Fantásticas":

sábado, 10 de janeiro de 2015

"DOIS MUNDOS, UM ALIANÇA", DE PEDRO XAVIER

Durante a primeira semana de janeiro, andei envolvida na leitura do terceiro livro (ebook) da coleção "Dois Mundos", de Pedro Xavier: "Dois Mundo, Uma Aliança".
Neste episódio da saga, Pedro, a personagem principal, chega ao planeta Lumen, onde pretende entregar o corpo de John. 
No entanto, a receção não é muito amigável e o povo local pretende compreender a todo o custo quem é aquele ser e o porquê de ter tanta força e poder.
E todo o episódio vai centrar-se na união entre Pedro e os humana elementum na luta contra as más intenções das gentes de Tenebris.

Depois do entusiasmo que senti com a leitura de "Dois Mundos, Uma Paixão" e de "Dois Mundos, Um Destino", acho que criei uma grande expetativa face a este novo episódio da saga, à qual o mesmo não correspondeu.

Na verdade, achei este livro o menos apelativo dos três, não considerando o enredo tão fantástico como os anteriores.
No entanto, gostei bastante de um capítulo em especial, no qual os poderes e as ações dos diferentes humana elementum surgem descritos de forma espetacular, oferecendo ao leitor uma visão incrível destes seres e elevando a qualidade de todo o episódio.

quinta-feira, 8 de janeiro de 2015

A BORDO DE UM LIVRO - NO NORTE DE PORTUGAL

Uma das imensas vantagens que encontrei no livro "A vida num sopro", de José Rodrigues dos Santos, foi a história ser passada no meu país, mais propriamente no norte de Portugal, uma zona que adoro e admiro de coração.
O amor de Luís e Amélia começa em Bragança, cidade onde nasceram e onde estudaram os dois personagens apaixonados.

Imagem de "Rádio Clube de Lamego"
Imagem de "Portugal Tours"

O reencontro entre os dois, em circunstâncias desfavoráveis da vida, alguns anos após uma separação forçada e que modificou para sempre o destino do seu romance, acontece em Penafiel.

Imagem do site da Câmara Municipal de Penafiel
Imagem de "Riquezas e Tradições de Penafiel"
É em Valença do Minho que acontece o episódio mais marcante da vida do casal e que vai condicionar toda a restante história, dando-lhe um tom de tragédia e condicionando fortemente o final da história.

Imagem de Maria João Almeida
Imagem do blog "Destinos"
E é na comunidade de Vinhais que Luís se integra quando constitui família e começa a exercer a sua profissão de veterinário de forma civil, tentando prosseguir uma vida sem Amélia.

Imagem de "Minube"

Imagem de "Guia da Cidade"

AI REUNIÕES, REUNIÕES...

Com dois professores cá em casa e mais duas crianças na escola, a primeira semana de janeiro transforma-se facilmente num magnífico festival de reuniões de pais, não deixando as rotinas se instalar convenientemente e esgotando as cabeças e os corações.
Neste momento só falta uma, que vai aparecer amanhã ao final da tarde para encerrar em grande a semana dos reis... e que semana!!!

As três que já aconteceram foram bem sucedidas e com resultados positivos, mas isto de dar e/ou receber avaliações tem o seu quê de emocionalmente desgastante mesmo que o ambiente seja salutar e pouco formal, como acabou por acontecer.
Não há tarefa escolar que considere mais difícil do que transformar em letras (ou números!) o que foi feito em três meses de trabalho, cozinhando resultados em fichas, com progressos e atitudes, posturas e interesses, adaptações e comportamentos. E surge a dúvida de ser ou não muito objetiva, correndo o risco de não valorizar os esforços em crianças com menos capacidades ou prejudicar grandes inteligências porque as atitudes não são as mais corretas... e evitar avaliar com o coração ao pé da boca, mas continuando a acreditar que todos, de uma forma ou de outra, fizeram o melhor que conseguiram e esperando que os próximos períodos sejam tão bons ou melhores.

E no fim das duas em que estive diretamente envolvida (ou presente!) é bom acabar concluindo, mais uma vez, que manter a escola e a família unidas na mesma direção é erguer o principal pilar de um percurso escolar de sucesso... e o sucesso não é de todo diretamente revelado através de um valor entre 1 e 5 ou de uma apreciação de suficiente ou muito bem. Porque crescer é muito mais do que aumentar de altura. E a escola tem de ser a segunda casa da felicidade.

segunda-feira, 5 de janeiro de 2015

DESAFIO LITERÁRIO "RODA O LIVRO"

Ao último dos desafios literários em que vou participar durante 2015 dei o nome de "Roda o Livro" e organizei-o com base em ideias que tirei de outros blogs.
Este desafio inclui 4 livros e 4 leitoras: eu e mais 3 seguidoras do blog, cada uma com um livro.
A ideia é fazer rodar os livros, de forma a que, ao longo do ano 2015, todas possamos ler os 4 livros, escrever sobre eles e partilhar as nossas opiniões.

Convidei a Lurdes Teixeira, a Sofia Carmo e a Carina Pereira, que seguem o meu blog e a página de facebook há já algum tempo. São as três amantes de leituras e aceitaram o meu desafio com agrado e entusiasmo. 

Os livros escolhidos foram:
- "Eu e as mulheres da minha vida", de Tiago Rebelo
- "Tão veloz como o desejo", de Laura Esquível
- "Por ti resistirei", de Júlio Magalhães
- "Orgulho e prazer", de Sylvia Day"

Eu começo o desafio com o livro que disponibilizei para o mesmo, que foi o do Tiago Rebelo.

Penso que vai ser um desafio muito divertido e que nos vai aproximar umas das outras. Quiçá termine com um encontro entre as quatro!

Como quero que todos conheçam um pouco melhor as quatro leitoras envolvidas neste desafio, resolvi propor que escrevêssemos um pequeno texto de apresentação. Para isso, usei como estímulo a ideia base do blog "histórias em 77 palavras", de Margarida Fonseca Santos, uma escritora que admiro bastante.
E, como boas aventureiras que são, as desafiadas foram umas queridas e aceitaram esta minha proposta, por isso...

LURDES TEIXEIRA:
Assim sou eu: o meu nome é Lurdes, tenho 31 anos, sou de Vila Real, mas para não deixar fugir um grande amor, mudei-me para Santarém. Tenho um filhote nascido em Maio de 2012. Trabalho como professora de inglês nas aecs e sou do tipo super caseiro. Sou viciada em livros, mesmo antes de saber ler, mas sou muito fiel a certos temas e autores. Tudo o que é sobrenatural fascina-me, mas não acredito em basicamente nada. 

SOFIA CARMO:
Olá. Sou a Sofia, sou algarvia mas resido em Lisboa há oito anos.
Sou professora de Biologia e Geologia e o ano passado acabei o mestrado em Medicina Veterinária. Apesar disso, ainda gostava de tirar Psicologia. Neste momento trabalho num centro de explicações, onde já estou há sete anos. Considero que sou simpática e justa para com o mundo (plantas, animais, pessoas, rochas e afins). Sou otimista, muito paciente e adoro animais. Detesto pessoas arrogantes e favas.

CARINA PEREIRA:
Chamo-me Carina, tenho 26 anos e finalizei em 2014 o Mestrado em Psicologia Clínica. Sou sincera ao extremo e fiel às minhas fortes convicções. Acredito no valor da família e da amizade. Prezo muito a liberdade, e sou incapaz de viver de meios-termos ou incertezas! Adoro literatura em geral mas com especial interesse pelo fantástico. Sou ainda apaixonada por fotografia e pela época medieval. Recentemente criei o blog My Memories, My World onde partilho diversas opiniões e experiências.

EU (MARISA LUNA)

Eu sou a Marisa e tenho 36 anos. Sou mãe de um casalinho lindo de 9 e 11 anos. Sou professora desde 1999. Sou casada. Tenho 2 gatas. Sou uma mulher que tenta amar-se e respeitar-se. Adoro crianças. Adoro ler, escrever e dançar. Detesto injustiças e desilusões. A família é o pilar da minha vida. Sou independente e inteligente. Prefiro o campo à praia. Gosto de desafios e projetos. Sou sonhadora e apaixonada. Adorava saber cantar fado.

BOAS LEITURAS!!!

domingo, 4 de janeiro de 2015

EMENTA PARA ESTA SEMANA

Estamos quase a voltar todos às rotinas habituais, após a interrupção do Natal, pelo que é mesmo necessário evitar o máximo de imprevistos e reorganizar os hábitos, horários e tarefas.
Por isso, resolvi começar também com as ementas semanais, que facilitarão bastante a organização das refeoções cá em casa e algumas compras que ainda temos de fazer.

Domingo (04/01):
Almoço (todos) - Atum, ovos e legumes cozidos (feijão-verde, batata, cenoura, brócolos e couve-flor)
Jantar - Esparguete à Bolonhesa. com salada
Dieta - Salada verde (rúcula, alface e canóglios) com beringela grelhada

Segunda-feira (05/01):
Jantar (todos) - Filetes de pesacada no forno, com massa recheada com espinafres

Terça-feira (06/01):
Jantar - Frango assado, com batatas fritas e salada
Dieta - Salada de frango, com favas e tomate

Quarta-feira (07/01):
Jantar - Arroz de pota, com tomate
Dieta - Salada fria de pota cozida

Quinta-feira (08/01):
Jantar - Fricassé de coelho, com esparguete
Dieta - Esparguete com coelho grelhado e salada

Sexta-feira (09/01):
Jantar - Bacalhau espiritual com cenoura e agriões
Dieta - Misto de cogumelos estufados com legumes

Sábado (10/01):
Almoço (todos) - Jardineira de perú
Jantar (todos) - Maruca cozida com todos

Domingo (11/01):
Almoço (todos) - Peitos de codorniz grelhados, com arroz de ervilhas e salada


http://pat.feldman.com.br/2011/09/11/dicas-para-fazer-da-refeicao-em-familia-um-momento-de-muito-prazer/
Esta imagem foi retirada de um site que nos dá boas dicas para refeições em família. É só clicar nela.

sábado, 3 de janeiro de 2015

DESAFIO LITERÁRIO "O PRIMEIRO LIVRO"

No mundo virtual dos apaixonados por livros e pela leitura, há uma imensidão de desafios literários à solta.
Se fizermos uma pesquisa num motor de busca encontramos logo desafios aos quais queremos aderir e o difícil será mesmo escolher. (Para além, claro, de cumpri-los!)

Há já vários dias que tenho debaixo de olho um desafio que encontrei no blog "Chaise Longue".
Primeiro pensei em aderir por lá.
Depois percebi que não seria fácil e que não daria conta do recado, pelo que, ao fim de pouco tempo, acabaria por deixar de ser um desafio e passaria a ser um peso ou um problema.
Por isso, optei por usar a ideia como estímulo e construir um novo desafio, mais ao meu jeito.


Este desafio literário consiste em ler o maior número possível de livros que tenham sido a primeira obra publicada de um autor.
Os autores, os géneros literários e as obras ficam ao critério de quem aderir ao desafio, sendo que só precisam mesmo obedecer a esta regra.
Para quem tem um cantinho online, depois será escrever sobre essa obra e partilhar a sua opinião referindo que está a participar neste desafio literário.

Já me imagino a pesquisar qual foi o primeiro livro de determinado autor e a procurá-lo por todo o lado.
Acho que vou gostar bastante de o fazer e espero conseguir ler, pelo menos, 1 livro em cada 2 meses, ou seja, 6 livros durante o ano. Será que conseguirei?

Alguém daí quer também aderir?