segunda-feira, 19 de outubro de 2015

"O BAIRRO DA CRIPTA: AS ELEGIAS", DE MARCOS R. TERCI

No sábado terminei a leitura do primeiro livro de uma coleção que veio diretamente do Brasil, oferecida pelo próprio autor, o gentil e simpático Marcos R. Terci.
Posso bem dizer que esta foi a minha primeira leitura no género terror e que foi bastante bem sucedida.

Para começar, tenho de dizer que os dois volumes da coleção "O Bairro da Cripta" chegaram acompanhados de uma carta e de um mapa. Com isto, fiquei logo com imensa curiosidade e com vontade de começar a leitura. Vejam só:


Na verdade, estas duas folhas de papel fizeram com que entrasse diretamente num mundo novo, numa cidade diferente e aterradora, numa localidade cheia de cantos e recantos misteriosos e únicos, onde cada zona está cheia de histórias de fantasmas, assassinos, bruxas e lobisomens.

Na cidade de Tebraria, nos séculos passados, havia um bairro de terror e suspense, construído junto ao cemitério e próximo da Baía das Sepulturas, da Ribeira das Barcas e da Fazenda Luminosa, onde muitos acontecimentos misteriosos aconteceram, de onde desapareceram (e apareceram!) personagens assustadoras e enigmáticas, sobre o qual foram escritas e contadas histórias de arrepiar: o Bairro da Cripta.

E todo este livro nos fala do que por lá foi acontecendo de estranho, sob a forma de vários contos que não são mais do que as histórias que por lá se contam ou que por lá foram sendo testemunhadas, ao mesmo tempo que conhecemos as personagens principais que marcaram a vida naquele lugar sombrio e triste. Conhecemos pessoas que fizeram história ao longo dos séculos, marcando o lugar, bem como o resto da cidade, com o peso da morte e da infelicidade, como é o caso de Miss Hale, do velho Ari, de El Bailador, da Madame M. ou do Sr. Sinistro.

Penso que dá para perceber que gostei muito de ler este livro, que está muito bem organizado, escrito e contextualizado, numa edição simples mas bem cuidada, com cenários e personagens carismáticas.

Não sendo do meu género literário preferido, a verdade é que gostei bastante de ler as histórias que por lá se contam, muitas delas verdadeiramente assustadoras e arrepiantes, outras carregadas de suspense, bem como de conhecer a maioria das personagens, todas elas muito bem caracterizadas e envoltas em mistério.

No entanto, não foi uma leitura fácil nem rápida, principalmente por dois motivos:
- Porque não sou muito adepta de contos e cada capítulo do livro surge como uma nova história, apesar todos estarem interligados e da ação decorrer sempre no mesmo bairro; cada capítulo fala de uma personagem e conta a sua "história de terror", como se fosse um episódio de uma série que, tendo cenários em comum, aconteceu em tempos diferentes, mesmo que consigamos ir relacionando algumas pessoas e acontecimentos;
- Porque está escrito de uma forma muito adjetivada, usando o autor uma linguagem muito elaborada, algumas expressões e palavras próprias do português do Brasil, detentor de uma escrita muito boa bem estruturada, mas um pouco elitista e recorrendo a expressões quase poéticas; é notória a vasta cultura geral de Marcos R. Terci, o seu enorme gosto pelo género e a profundidade do dom que possui.

Na internet:
O AUTOR               A COLEÇÃO               O FANTASMA PRINCIPAL

4 comentários :

  1. Mais uma alma a habitar o afamado Bairro da Cripta! Sem sombra de dúvidas M. R. Terci é um dos principais nomes do terror brasileiro, sua principal característica é um texto tão belo e poético que dá vontade de ler em voz alta para experimentar todo o prazer que a lingua portuguesa nos proporciona. Ótimo texto, agora é questão de deixar as estórias do primeiro tomo fecundarem pesadelos e medos para então com o coração carregado de horror buscar redenção no próximo volume. Boa leitura!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Rafa!!!
      Muito, muito obrigada pelo seu comentário.
      Vou ler o segundo livro, sim senhor!!!
      E também concordo que apetece ler alto tudo o que Marcos escreve.
      Um abraço

      Eliminar
  2. Olá, Marisa!
    Adorei sua entrega a essa leitura. Acho que M.R. Terci, como você bem colocou, é um poço de cultura. Senti-me desafiada, é verdade, enquanto lia o primeiro Tomo dessa série. O modo como ele escreve nos faz enriquecer em imaginação e linguagem. Gostei muito de ver que, embora não seja o gênero que você mais gosta, o livro a encantou tanto quanto encantou a mim. É lindo de ver que chegou a Portugal, às mãos de uma leitora sensível como você. :)

    Beijos!
    http://www.myqueenside.blogspot.com

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá querida Francine!!
      Concordo em absoluto com o que diz.
      Fiquei fã do M.R.Terci e conto ler muitos mais livros seus.
      Beijinhos portugueses

      Eliminar