segunda-feira, 6 de julho de 2015

2392 DIAS DEPOIS...

Ando a aprender a não remexer no passado, mas sei que o que já vivi e senti fazem parte da pessoa que sou hoje e, logo, influenciam o que quero ser no amanhã.

Por isso, em vez de fingir que o passado não existiu, procuro celebrar o que de bom ele me ofereceu (e foram tantas coisas!!!) e dar sentido ao que de menos bom aconteceu, aprendendo a erguer a cabeça porque ultrapassei e aprendendo para não voltar a tropeçar nas mesmas pedras.

E aqui fica mais um dos meus escritos passados, que não vou fingir não ter existido, mas que já consigo ler sem chorar...

2392 DIAS DEPOIS...

"Porque não me soltas nem prendes?
Porque não lutas por mim?
Sempre paz, sempre sossego nas palavras e ações, sempre uma calma não revelada por quem quer muito, por quem trava batalhas por amor.
Sempre acreditei que irias querer-me ao ponto de tudo fazeres para a ti me prenderes. 
Sempre acreditei que o medo de só ficar fosse garra e corda para te prender à luta de não desistir de mim, de me fazer apaixonar.
Acreditei, sonhei com tanto... mais do que os sonhos aterradores que agora enchem a minha alma.
Ai de mim se fosse eu a querer não te perder! Ai de mim e de uma guerra que não deixo de viver injustamente quando serias tu o guerreiro interessado nela.
Amar só por amar? Não consigo aceitar.
Amar é querer ver o outro a sorrir e se culpar quando por nós as lágrimas teimam em rolar.
Amar é não desistir, mudar de armas, negociar, ludibriar, perder a calma, preocupar.
É sentir o sangue a ferver quando o terror, a dor e o sofrimento aos outros aparecer.
Não sei amar de outra forma. Não conheço diferentes intensidades no amar um amor que é só um e poderoso, que alma e corpo a vibrar e a vencer tudo e todos por um sorriso, um momento de felicidade.
Confusa, em dor, sofrendo por falta do que não há quem tenha para mim, mais uma vez tristemente tomando esta realidade no peito e tão somente querendo que a verdade passe a ser proveito da fidelidade.
Queria tanto sentir-me bem amada!"
Marisa Luna


Sem comentários :

Enviar um comentário