terça-feira, 30 de junho de 2015

MEALHEIRO LITERÁRIO DE JUNHO

Durante o mês de junho voltei a ser muito poupadinha nas compras. Ou melhor, voltei a não comprar qualquer livro, tendo aumentado a minha biblioteca particular apenas porque recebi algumas ofertas de editoras e autores.

Aqui ficam aqueles que vieram encher um pouco mais as prateleiras cá de casa:

Oferta da Livros de Ontem

Oferta da escritora Susana Esteves Nunes

 Oferta da escritora Linete Landim


OS TOTAIS:

Gastei: 0€
Saldo: 16,65 - 0€ = 16,65
Valor para julho: 16,65€ + 10,70€ = 27,35€

Valor dos livros que juntei em junho: 75,75€
Poupança: 100%
Poupança média de 2015: 91,7% (433,28€)

sábado, 20 de junho de 2015

NO PRÉ-LANÇAMENTO DE "CORRESPONDÊNCIA", DE LINETE LANDIM

Cheguei há pouco de Lisboa.
Estive com a autora Linete Landim na cerimónia de pré-lançamento de "Correspondência", o primeiro livro da saga "Luar Dourado" e posso dizer que vim encantada com a sua simplicidade, alegria e força de viver e de lutar. Mesmo!! Fiquei completamente rendida desde o primeiro minuto.

A sessão decorreu no auditório da Biblioteca Municipal de Orlando Ribeiro, em Telheiras, num ambiente descontraído e animado, e foi especialmente dedicada aos amigos e familiares da autora. No entanto, senti-me muito bem acolhida e gostei bastante de conhecer o mundo humano mais próximo da Linete, que foi uma querida comigo.

A autora fez uma pequena apresentação da sua entrada no mundo literário, mostrando como é importante lutarmos pelos nossos sonhos, indo atrás deles e não desistindo, procurando todos os caminhos, aproveitando todas as oportunidades e seguindo todos os sinais. Fez um discurso breve e simples, mas sentido e muito humano, que refletiu a sua personalidade.

Foi uma das suas melhores amigas quem nos leu a sinopse de "Correspondência" e confesso que fiquei mesmo com muita vontade de pegar no livro e começar logo a lê-lo, o que, certamente, farei nos próximos tempos, pois quero muito conhecer a forma de escrever da autora e poder dar o meu contributo na divulgação do seu trabalho.

Ficámos também todos a saber de uma novidade fantástica, que merece uma salva de palmas dos leitores. É que todos os livros de Linete Landim, até ao momento apenas disponíveis para compra online e numa cadeia de lojas locais, vão passar a estar disponíveis em 3 grandes grupos de vendas: Sonae, Auchan e Fnac.

A autora está mesmo de parabéns e estava muito feliz quando partilhou esta novidade com todos.

Ofereceu-me "Flores Silvestres", a sua primeira obra, lançada em abril de 2013 e que já vai na 2.ª edição. Este livro pertence a uma trilogia de romances, juntamente com "Porto de Abrigo" e "Casamento Cortês".





quarta-feira, 17 de junho de 2015

2202 DIAS DEPOIS...

Tenho uma espécie de caderno onde, em dias mais difíceis de solidão, registei os pensamentos que assombravam a minha alma, na sua maioria demasiado profundos para saírem de mim de outra forma e infinitamente duros para puderem ser amolecidos com um abraço ou uma noite bem dormida.

Não são leves, nem agradáveis, mas são reais e sentidos, sem exageros nem capas, pois em momentos de falta de esperança em si próprio, nada é de desvalorizar numa alma escura e a precisar de ajuda.

Sem ninguém precisar de me dizer que assim é, sei que os mesmos assombram muitas outras cabeças que, doentes e, muitas vezes, sem darem conta ou admitirem, precisam de descobrir onde ir buscar a luz e a quem confiar o empurrão de que precisam para perceber que a sua vida é única e que a felicidade depende da capacidade de acreditarmos em nós e nos nossos sonhos.

Neste momento, ainda não estou no ponto em que gostaria de estar, mas estou muito melhor e a maioria destes duros pensamentos já me assombra poucas vezes, ainda que teimem em aparecer esporadicamente (porque acontecimentos memorizam reações), vestidos de cinzento mais ou menos claro, prova de que o branco luminoso até em desespero já consegue suavizar a alma negra.

Estou mais forte, mais confiante em mim e no caminho novo que quero encontrar. Procurei ajuda e fiz opções. Ganhei coragem e segui o meu coração, aceitando quem sou e o que faz sentido para mim, mesmo que não o faça para mais ninguém. Perdi momentos, perdi pessoas... mas estou a encontrar-me. E o peso é já muito menor. E já passaram alguns anos.

E foi assim que escrevi há precisamente...

2202 dias e 13 horas

"Sinto-me fraca. Sinto-me só.
Estou doente.
Não é grave, mas simples de resolver, mas sinto-me impotente e só.
Sei que não sei tomar conta de mim, que me negligencio, que me abandono ao sabor das obrigações, das rotinas e da satisfação dos outros, mas fico injustamente à espera que alguém o faça por mim. Incorreto e desesperante, este desejo não desaparece, mesmo que queira e peça.Está enraizado e ramifica-se em diversas características minhas e é demasiado cansativa a luta para acabar com ele.
Sei como me mimar, muitas vezes a forma de o fazer ou o que me deixaria a senti-lo, mas não consigo pôr em prática um egoísmo que, sob a forma de altruísmo ou meiguice de outros, seria um presente de valor supremo para mim.
Não sou capaz de pensar em mim nesse sentido... não me sinto capaz de o fazer... 
Porque ninguém pensa em mim?
Porque pensam passivamente quando a felicidade depende de pensamentos ativos e persistentes?
Será que não dá para me ensinar como fazê-lo?
Uma criança só aprende a andar ao ver pessoas a andar, se lhe derem a mão ou perceber como é bom deslocar-se de um lado para o outro.
Sinto-me uma criança fechada, sem local onde se agarrar e com tanta gente que não dá a mão (apesar de alguém incentivar e dizer "levanta-te" e "és capaz").
Divago. Como sempre. Já sei... a ajuda tem de vir de dentro. Tenho de ser eu a pensar em mim e pela minha felicidade. Já o sei.
Mas agora estou doente. Deem-me só mais esta desculpa e deixem-me ser ajudada. Tomem conta de mim, mimem-me, deem-me colo... por favor...
Já não sei pedir de outra forma e tanto sofro tantas vezes por não ser capaz de forma alguma...
Já não sei expressar de outro modo. nem o devo fazer por ora.
Preciso sentir que cuidam de mim, que se interessam e preocupam; mas não superficialmente, não de forma passiva... mas com gestos, com assumir de responsabilidades, com palavras e muitos pensamentos e ações concretas.
Hoje nem consigo sentir-me culpada por pedir e aceitar... e essa costuma ser a raíz profunda de todo um ego desaparecido.
Parece que já nem sei explicar... nem escrever."
Marisa

Imagem retirada da Internet

sexta-feira, 12 de junho de 2015

MARATONA DE HISTÓRIAS

É já daqui a dois dias, na zona infantil da Feira do Livro de Lisboa, que se irá realizar uma "Maratona de Histórias", com a Alfarroba.
Entre as 15h e as 17h, serão seis os escritores que estarão a dinamizar este espaço, contando seis histórias às crianças e a todos os que gostam de literatura infantil.
Estamos todos convidados!!!

sexta-feira, 5 de junho de 2015

FEIRA MEDIEVAL DE ALHOS VEDROS

Para mim, uma das vantagens da proximidade do verão é, sem dúvida, a chegada das Festas Populares e das Feiras Medievais.

Não é que seja de lá passar os dias, e evito mesmo as horas de maior confusão, mas sabe-me bem marcar presença em muitas delas, dando uma volta por todo o espaço, assistindo a alguns espetáculos, provando os petiscos próprios ou tradicionais, explorando as atividades que são promovidas e deixando-me envolver pelo ambiente popular e social.

E, como tem sido costume nos últimos anos, não pude deixar de ir com os miúdos à Feira Medieval de Alhos Vedros, que decorreu entre 29 e 31 de maio.

Este ano achei a iniciativa ainda com maior qualidade do que as anteriores edições.
O espaço estava mais alargado, a diversidade de espaços também melhorou significativamente e o programa incluiu muitas atividades, dando muita vivacidade e alegria à festa.
Gostei bastante do ambiente que por lá se vivia, onde cheiros, sabores e vivências nos levavam mesmo até aos séculos passados e à cultura de um povo que tanto influenciou aquilo que hoje somos e vivemos.

Ficam algumas imagens para mais tarde recordar!









quinta-feira, 4 de junho de 2015

A MATILDE NA FEIRA DO LIVRO

No fim de semana passado, a minha filhota divertiu-se à grande na Feira do Livro de Lisboa que, como sempre, nos surpreende pela positiva, com atividades fantásticas de promoção do livro e da leitura.

Na sexta-feira fui deixá-la na primeira edição do "Acampar com Histórias", uma iniciativa da Associação Portuguesa de Editores e Livreiros (APEL), que decorreu na Estufa Fria e no Parque Eduardo VII, decorrente da Feira do Livro de Lisboa. (Ver notícia no "RTP Notícias")

Das 18h30 desse dia até às 11h de sábado, a minha filhota, incluída num grupo de vinte crianças entre os 8 e os 10 anos, teve oportunidade de participar em diversas atividades ligadas à feira, ao livro e à leitura, dinamizadas por animadores com muito potencial pedagógico e ótima relação com as crianças.
Conheceu a Estufa Fria (onde também adorou dormir), participou num "peddi pepper", conheceu e conviveu com a escritora Susana Câmara e o seu livro "O Detective Asa Branca e o Menino que não Conseguia Chorar", iniciou um diário gráfico e realizou jogos e outras dinâmicas diversas.
O preço da inscrição (10 euros) incluiu também jantar, ceia e pequeno-almoço, dando ainda direito a um voucher do mesmo valor para trocar por livros durante a Feira do Livro.

A filhota adorou a experiência e teve muita pena de se vir embora, pois divertiu-se muito, fez amigos e ficou ainda mais apaixonada pela Feira, o que mostra o sucesso da atividade.


No domingo, voltámos à Feira para conhecer pessoalmente a escritora Paula Pimenta, autora dos 5 livros "A minha vida dava um filme", uma coleção de sucesso que chegou a Portugal em maio de 2014 e  já encantou milhares de leitores de todas as idades.
Eu ainda não li nenhum, mas a Matilde já devorou os 4, que tem colecionado desde o Natal, e não podia deixar de comprar o quinto, que era o "Livro do Dia" no stand da Editorial Presença, nem de conhecer a sua autora, ganhando a oportunidade de trazer um autógrafo para casa.


E carregadas com os 5 livros da coleção, lá fomos nós passar a tarde à Feira do Livro, tendo esperado 1h30 na fila dos autógrafos para conhecer e falar um pouco com a famosa Paula Pimenta.

Gostei da simpatia da escritora, bem como da sua amabilidade e proximidade com os leitores.
Os autógrafos foram personalizados e com direito a cores diferentes, o que encantou a sua fã pré-adolescente, que se mantém agarrada à história e (quase) com pena de a ver terminar.
Tenho mesmo de alinhar na sua onda e desafiar-me a ler o primeiro livro da coleção.



segunda-feira, 1 de junho de 2015

MEALHEIRO LITERÁRIO DE MAIO

Eu sabia que a Feira do Livro de Lisboa iria mudar um pouco o cenário de poupança dos outros meses deste ano. Tinha de ser!!!
Também comprei os dois primeiros volumes do "Armandinho" no dia do lançamento do terceiro.

Mesmo assim não me estiquei muito, que o orçamento não permite, e ainda consegui saldo positivo.
Veremos como corre junho, já que a feira só terminará no dia 14.

Compras feita na Fnac, no dia do lançamento

As minhas compras na Feira do Livro

 Livros que ganhámos na "Roda da Sorte", no stand do grupo Presença na Feira do Livro

OS TOTAIS:

Gastei: 36,55€
Saldo: 42,50€ - 36,55€ = 5,95€
Valor para junho: 5,95€ + 10,70€ = 16,65€

Valor dos livros que comprei em maio: 86,55€
Poupança: 57,9%
Poupança média de 2015: 90,3% (357,53€)