sábado, 2 de maio de 2015

"MISANTROPIA ESCLARECIDA"

Já tenho escrito sobre o que penso da poesia e sobre a forma como a musicalidade desta forma de escrita dá cor e alma aos meus dias (ver aqui).
Não sendo o género literário que preenche os livros que agarro e leio de início ao fim, gosto sempre de ter uma obra poética por perto, para poder folhear e saborear em momentos melhores e piores, mas, certamente, de maior importância.

Por isso, nos últimos tempos, tenho andado acompanhada com o "Misantropia Esclarecida", de Ana Costa, que me foi gentilmente oferecido pela editora "Livros de Ontem" e em cujos poemas tenho andado a bebericar magia.

Este livro de estreia de Ana Costa, uma poetisa portuguesa de 26 anos, inclui 55 de poemas muito diversificados na forma e no tema, apesar de entre eles se conseguirem percecionar algumas ligações, todos falando da vida e de sentimentos do homem.

Os poemas estão organizados em dois grandes grupos (ou capítulos): optimismo e pessimismo.
No primeiro grupo, surgem muitos poemas associados ao amor, sendo que todos lançam ideias de esperança, de luz, de busca da felicidade e contrariam a necessidade de pensar, procurando as emoções.
No grupo do "pessimismo", estão organizados diversos poemas que abordam a vida segundo sentimentos mais carregados de dor e sofrimento, que prendem e aprisionam, que causam incertezas e instabilidade.

Na minha opinião, este livro está muito bem escrito e organizado, incluindo poemas de grande valor literário e/ou emocional.
A escrita de Ana Costa é forte e penetrante, enriquecida com algum vocabulário mais erudito, conseguindo transformar sentimentos em imagens (quase) visíveis e diversificando ao ponto de parecerem ter sido escritos por pessoas diferentes.
Gostei muito da sonoridade de alguns deles, sentindo-me mais presa aos poemas do primeiro grupo. De todos os poemas, o "Fim da canção triste" (página 37 - optimismo) e o "Silêncio" (página 83 - pessimismo).

Confesso que adoraria ouvir estes poemas bem lidos (ou recitados) pela Cristina Paiva, atriz da Andante Associação Artística que é, para mim, a mestre da "leitura em voz alta".
Será que aceita o desafio?

Com este livro, cumpri o segundo pontos do desafio literário "O primeiro livro".

Sem comentários :

Enviar um comentário