quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

EU E O TAROT, APÓS UMA CONSULTA COM A ISA

Há uns dez anos atrás, passei por uma fase em que andava apaixonada por tudo o que se relacionava com Tarot e com cartas. Sentia vontade de aprender, queria experimentar e sentia-me tentada a desenvolver o meu lado mais intuitivo.
No Natal tive uma surpresa: o meu marido ofereceu-me um bonito baralho de cartas de Tarot e um livro que explica como interpretá-las.
Ainda andei entretida durante uns tempos, mas os miúdos eram pequenos e talvez o meu lado espiritual e intuitivo não estivesse (ou seja??) assim tão poderoso, pelo que acabei por colocar tudo de parte.

E só voltei a pensar no assunto quando andava a preparar os passatempos de Natal aqui para o blog.
Conheci a Isabel, do TAROT DA ISA TAYLOR, gostei das boas energias que emanava, virtualmente falando, e o bichinho voltou a despertar em mim.

E foi com grande entusiasmo que aproveitei a sua oferta de uma sessão de Tarot pelo telefone, que acabou por acontecer ontem.
Estava um pouquinho nervosa (confesso) e não sabia bem o que iria perguntar, pelo que, após ter dado alguns dados necessários para a consulta (nome completo, data de nascimento e pouco mais) resolvi apenas pedir à Isa que lançasse as cartas para me dizer como será o meu ano 2015.
E o resultado foram 2 boas surpresas!!

Primeiro, gostei de saber que as cartas eram quase todas muito boas e poderosas: um rei, dois valetes, o Mundo... Cartas que indicam que sou uma pessoa guerreira e que vou atrás daquilo em que acredito e sonho, dando dicas positivas sobre aspetos diversos como a saúde, o trabalho ou a família. (Parece que tudo vai correr bem este ano!!)

 Exemplos retirados da internet

Depois, foi perceber que a carta menos positivas, parece que a única, mostra alguns períodos em que estarei mais deprimida, o que não me parece nada estranho tenho em conta o que conheço de mim. Fiquei foi espantada por aparecer esta carta do "deprimido", que deu à Isa a informação que tenho tendência a isolar-me e a afastar-me dos que amo quando estou mais em baixo e que, mesmo em momentos em que tudo parece ótimo na minha vida, tenho fases em que nada parece suficiente.
Serei assim tão fácil de "ler"?

Resumindo, posso dizer que gostei dos 20 minutos em que estive ao telefone com a Isa e que não se perde nada em arriscar experiências novas, pelo que aconselho a irem à sua página de facebook e marcar também uma sessão. É que, além do que "lê" nas cartas, a Isa é uma boa companheira de conversa e dá-nos algumas dicas de como seguir o nosso caminho com um sorriso nos lábios.

Sem comentários :

Enviar um comentário