quinta-feira, 8 de janeiro de 2015

AI REUNIÕES, REUNIÕES...

Com dois professores cá em casa e mais duas crianças na escola, a primeira semana de janeiro transforma-se facilmente num magnífico festival de reuniões de pais, não deixando as rotinas se instalar convenientemente e esgotando as cabeças e os corações.
Neste momento só falta uma, que vai aparecer amanhã ao final da tarde para encerrar em grande a semana dos reis... e que semana!!!

As três que já aconteceram foram bem sucedidas e com resultados positivos, mas isto de dar e/ou receber avaliações tem o seu quê de emocionalmente desgastante mesmo que o ambiente seja salutar e pouco formal, como acabou por acontecer.
Não há tarefa escolar que considere mais difícil do que transformar em letras (ou números!) o que foi feito em três meses de trabalho, cozinhando resultados em fichas, com progressos e atitudes, posturas e interesses, adaptações e comportamentos. E surge a dúvida de ser ou não muito objetiva, correndo o risco de não valorizar os esforços em crianças com menos capacidades ou prejudicar grandes inteligências porque as atitudes não são as mais corretas... e evitar avaliar com o coração ao pé da boca, mas continuando a acreditar que todos, de uma forma ou de outra, fizeram o melhor que conseguiram e esperando que os próximos períodos sejam tão bons ou melhores.

E no fim das duas em que estive diretamente envolvida (ou presente!) é bom acabar concluindo, mais uma vez, que manter a escola e a família unidas na mesma direção é erguer o principal pilar de um percurso escolar de sucesso... e o sucesso não é de todo diretamente revelado através de um valor entre 1 e 5 ou de uma apreciação de suficiente ou muito bem. Porque crescer é muito mais do que aumentar de altura. E a escola tem de ser a segunda casa da felicidade.

2 comentários :

  1. Olá Marisa,

    É atarefada a tarefa de mãe e professora ao mesmo tempo. Muito trabalho e dedicação. Mas deve dar os seu frutos! Recompensas boas!

    Bom trabalho.
    Beijinhos.

    ResponderEliminar