domingo, 28 de setembro de 2014

UMA HORTA JUNTO AO PRÉDIO

O meu homem adora mesmo tudo o que se relaciona com a terra e com o que dela nasce. Está-lhe no sangue!!!
Há 2 anos que tem mantido uma horta na varanda, mas a que existe hoje já nada tem a ver com a que iniciou, pois as condições não são as melhores e tornou-se difícil mantê-la viçosa.
De momento, a horta de varanda é mais para ervas aromáticas e para pequenos vasos (tipo sementeiras).
Isto porque arranjou um novo espaço e é lá que tem andado entretido.
É um espaço bem maior, que fica junto ao portão da garagem do nosso prédio. É um espaço comum aos seis condóminos, mas foi de comum acordo que o começou a usar para fazer uma horta e dar um novo ar a esta área que costumava estar mais abandonada.
A maior dificuldade é a qualidade da terra, que não é minimamente boa para as plantas. Por isso, tem feito um grande investimento na troca e/ou enriquecimento da terra com composto orgânico que tem conseguido através do uso de dois compostores (um lá colocado e outro na varanda).
Subiu terrenos, fertilizou-os naturalmente, revolveu a terra, juntou-lhe outra mais própria... E tem lá plantado e semeado algumas plantas, quase todas já a darem fruto.
Fez a vedação, construiu um portão, protegeu as plantas quando cairam as maiores chuvadas há dias... e tem dedicado algum do seu tempo a este projeto, que o ajuda a manter o corpo e a cabeça ocupados, muitas das vezes quando fica sozinho.
Está a ficar um bonito espaço e eu tenho orgulho neles (no espaço e no homem!).




cebola


nabo e salsa

alface
erva cidreira
meloa
batata doce
morangueiro
nespereira
framboesa
hortelã-menta

sábado, 27 de setembro de 2014

BEN STILLER

Há quem diga que não tenho muito sentido de humor. (Aproveito todas as oportunidades, não é?)
Há quem diga que sim...
Eu acho que tenho um humor muito próprio e que varia com o tempo.
A verdade é que nem todos os comediantes conseguem divertir-me, mas há um ator que me pôe quase sempre a rir às gargalhadas nos filmes de comédia: o Ben Stiller!
Adoro os filmes em que é protagonista e, regra quase geral, rio do princípio ao fim.
Ontem não foi exceção e achei o filme "Duplex", com Drew Barrymore, fantasticamente divertido e um ótmo ingrediente de final de sexta-feira.



Lembro-me que conheci a gostar de o ver em 2002 com o filme "Zoolander".
Vi a publicidade ao filme na viagem de passagem de ano que fiz com o meu marido a Paris, pois havia cartazes por todo o lado, e fiquei com imensa curiosidade, não resistindo assim que consegui vê-lo em Portugal. Adorei e fiquei fã.
Desde aí, já vi imensos... tento não perder nenhum e este "Duplex" é adoravelmente engraçado e completamente adequado à imagem que tenho desde homem/ator.

Não consigo bem perceber o que tem de especial, mas acho-o um homem muito interessante.
Não sei se o acho ou não bonito, mas, para além de divertido, tem um "não sei o quê" de atraente que faz com que as suas personagens pareçam ao mesmo tempo desastradas e românticas, sensuais e desorganizadas.
Penso que nasceu para fazer comédia e não o imagino noutro tipo de papéis, apesar de ter curiosidade em saber como será a fazer de pessoa séria e não envolvido em desastres e desaforos.
Enquanto não descubro, vou rindo à brava e deixando-me encantar pelo seu carisma inigualável.

Ainda podem ver o filme "Duplex" na Fox Life hoje e amanhã:
- 27 de setembro, às 14h44
- 28 de setembro às 23H23

O trailler aqui: http://youtu.be/oltpVqiwTkg

terça-feira, 23 de setembro de 2014

"EU SOU A LENDA"

Há muito tempo que não ficava com a sensação de ter gostado mais de um filme do que do livro que esteve na sua origem. Foi o que me aconteceu ao ler "Eu sou a lenda", de Richard Matheson.
Vi o filme no cinema em 2008 e gostei bastante, por isso não hesitei quando descobri o livro na Winkingbooks.

Este livro conta a história de Robert Neville, um virulogista que é o único sobrevivente de uma epidemia causada por um virus ou bactéria que matou milhares de habitantes de Manhattan e deixou outros tantos condenados a uma vida vampiresca ou de mortos-vivos.
Neville está sozinho em casa e procura uma cura para esta epidemia, tendo de se manter a salvo de um bando de vampiros que tenta atacá-lo, liderado pelo seu ex-melhor amigo.
Começa por descobrir os pontos fracos desta espécie, para depois os usar para os matar e vai investindo na pesquisa científica com amostras que recolhe.
Todo o livro mostra os confrontos diretos entre Neville e os "vampiros", bem como algumas surpresas que vão aparecendo e os avanços destas relações.

Gostei do livro, dentro do género "ficção científica", que não é, por si só, o meu favorito.
Tendo sido escrito em 1954, prevendo o futuro no ano 2012, parece-me que está muito bem conseguido e tem um enredo bem organizado e coerente, sem grande espetacularidade, mas com coerência e uma linguagem cativante.
No entanto, confesso que fiquei um pouco desiludida com a obra, apesar de ter gostado e de a ter lido com facilidade.
Talvez isto se deva ao facto de ter gostado muito da adaptação de Francis Lawrence (com Will Smith no principal papel) ou por tê-lo visto primeiro, mas acho que este trabalho cinematográfico favoreceu muito a história do livro.
No entanto, acho que houve alguns detalhes que deviam ter sido mantidos de acordo com a história original, pois não fizeram assim tanta diferença no filme e podiam respeitar melhor o livro, o que nem sempre aconteceu. Podiam, por exemplo, ter sido fiéis à descrição da personagem principal: um homem alto e forte, de pele clara e olhos azuis. Propunha o Brad Pitt ou o Leonardo Di Caprio para o principal papel.

Para poder comparar melhor os dois, já planeei rever o filme este fim de semana, enquanto mantenho bem fresco na minha memória todo o livro.

segunda-feira, 22 de setembro de 2014

UM NOVO GRUPO

Este ano tenho um novo grupo no trabalho: 26 crianças lindas de 5/6 anos a iniciar as aprendizagens de 1ºCiclo. Tenho uma turma de 1.ºano que comigo vai aprender a ler e dar os primeiros grandes passos na Matemática e sinto-me muito entusiasmada. (Mas também muito, muito cansada!!!)

Esta é a minha quarta turma de 1.ºano desde que comecei a trabalhar, em 1999, e é sempre com muita motivação e carinho que abraço esta tarefa, pois adoro esta idade e o prazer que é vê-los crescer diariamente em aprendizagens. O 1.º é o ano das descobertas e da autonomia, das letras e dos números e sempre que recebo um novo grupo fico a achar que tenho mais uma oportunidade de fazer mais e melhor.

Confesso que estou um pouco emotiva em relação a este iniciar. É a primeira vez que tenho alunos mais novos do que os meus filhos e começo a sentir saudade do tempo em que eles eram mais pequenos, das suas gracinhas e daquela pureza e ingenuidade da infância. Há uma magia especial nas crianças quando têm 6 anos... há uma afetividade inocente e pura, há uma irreverência a emergir, há uma capacidade enorme de acreditar, de querer, que poder, de sonhar... há uma relação única que se constrói dia a dia, hora a hora, recheada de pequenos avanços e alguns recuos, aberta à imaginação e à felicidade. Há ainda uma revitalidade que se sente no ar e nos enche a cada respirar.

Sinto que este vai ser um grupo especial e acredito que nos vamos dar muito bem e que o nosso caminho vai ser mais risos do que de choros, mais de vitórias e celebrações do que de ralhetes e impaciências.

E, porque a motivação do professor faz toda a diferença, porque o envolvimento emocional entre todos (crianças, família e escola)  é o combustível que nos permite andar sempre em frente, porque é preciso acreditar num futuro melhor, acho que vão ser quatro anos muito bons (Assim permita o sr. ministro!!!) e que tenho comigo crianças que vão marcar a diferença.

Mas entretanto ando TÃO cansada... é que 26 crianças assim pequenas e pouco autónomas numa sala de aulas durante cinco  horas diárias é obra de maratona!!!

Porque a escola é isto e muito mais...

sábado, 20 de setembro de 2014

LANÇAMENTO DO LIVRO "VIAJANTES"

Hoje fui, pela primeira vez, ao lançamento de um livro.
Pode não parecer verdade, mas ainda não tinha surgido oportunidade, apesar de há muito tempo querer ir a um evento destes. Tenho visto alguns anúncios de lançamentos e já aconteceu pensar em ir, mas não cheguei a satisfazer esta minha vontade.

Mas hoje foi o dia.
E, também por ser a primeira vez, foi especial.
Recebi um convite da editora "Livros de Ontem", minha parceira aqui no blogue, para ir ao lançamento do livro "Viajantes", em Lisboa, e foi com muito agrado que o aceitei.

Apesar dos nervos com que ia (e estive), gostei bastante da experiência.
Quem me recebeu, em nome da "Livros de Ontem", foi o editor João Batista, que é a simpatia em pessoa.

O ambiente pareceu-me, ao mesmo tempo, sofisticado e familiar, organizado e descontraído.
Quando cheguei ainda era cedo e estava pouca gente, mas após as 17h "A Pequena Galeria" ficou cheia e o espaço era pouco para tantos convidados ansiosos pelo lançamento do livro.

Foi o próprio João Batista quem começou por apresentar a obra, dando depois palavra a Susana Simões que, para além de ter feito um maravilhoso discurso de apresentação, ainda nos leu 2 lindíssimos poemas, um de cada escritor. De seguida, os três autores falaram um pouco sobre este livro, mostrando-nos a sua visão deste encontro de talentos e fizeram uma sessão de autógrafos e dedicatórias, na qual participei com o meu exemplar gentilmente oferecido pela editora.
Foi mesmo um evento muito agradável.



"Viajantes" é um livro que junta poesia e fotografia, numa simbiose única, que enaltece Lisboa e ajuda a fixá-la nos nossos corações.
Com fotografias de Marta Cruz e poemas de Daniel Costa-Lourenço e de Bruno Torrão, este livro merece a nossa atenção e valorização, pois é com grande qualidade literária e fotográfica que se une a capital aos amores e às paixões, aos encontros e desencontros, ao mar e ao rio, ao sonhos e às experiências de vida.

Em breve escreverei sobre esta obra, da qual já li alguns poemas e vi fotografias, tendo ficado agarrada às palavras destes dois escritores (bem diferentes mas igualmente apaixonados pela poesia).


MARATONA LITERÁRIA "SINFONIA DOS LIVROS"

http://sinfoniadoslivros.blogspot.pt/

Gosto de participar em maratonas literárias. Não o faço para ganhar. Participo sempre como mais um estímulo para a leitura. Enquanto dura a maratona, ando mais presa aos livros. Apesar de não precisar muito de motivos para o fazer, algumas vezes estar a participar na maratona serve de "desculpa" para não ceder à tentação da televisão ou de viagens pela net sem rumo aparente. E também me obrigo a deitar mais cedo, o que faz toda a diferença na minha vida (e saúde!).

Desta vez, participei na 3.ª maratona literária do blogue "Sinfonia dos Livros", da Vera Neves.
Foi uma maratona de grupos, os quais tinham como tema o nome de um escritor famoso e que decorreu entre de 25 de agosto e 15 de setembro.
Eu fiz parte da equipa "Nora Roberts", que ficou em 3.º Lugar, com um total de 12 375 páginas lidas.


Como não havia tema para as leituras, escolhi os livros que me foi apetecendo ler ou selecionei-os aleatoriamente da minha lista de leitura.
Estes foram os livros que li ao longo da maratona e respetivo número de páginas:
(Clicar nos títulos para ler a minha opinião sobre eles)

- "A menina que fazia nevar", de Grace McPherson: da página 238 até ao final - 90 páginas
- "A Escola ficou doida", de Luis Cordeiro: da página 119 à 151 - 33 páginas (ainda a ler)
- "Encantamento", de Alice Hoffman - 157 páginas
- "A Revolta", de Suzanne Collins - Desde a página 30 à 59 - 30 páginas (ainda a ler com a filhota!!!)
- "Dois mundos, um destino", de Pedro Xavier (Ebook) - 66 páginas
- "Cancro com Humor", de Marine Antunes - 96 páginas
- "Lotaria", de Paticia Wood - 298 páginas
- "Sudoeste", de Olinda O. Gil (Ebook) - 58 páginas
- "Um casamento feliz", de Andrew Klavan - 230 páginas
- "O Principezinho põe a gravata", de Borja Vilaseca - 191 páginas
- "Eu sou a lenda", de Richard Matheson - até à página 53 (quase a terminar)

TOTAL: 1302

sexta-feira, 19 de setembro de 2014

TANTOS MARCADORES!!!

Ontem recebi o prémio que ganhei num passatempo do blogue Bloco de Devaneios: um conjunto de marcadores lindíssimos.
São de vários tamanhos e coleções, mas todos eles maravilhosos.
Soube tão bem recebê-los!!! (Chegarem mesmo do dia certo, pois vinha exausta e até parece que fiquei melhor.)

Destaco os do "Divergente", que são lindos e inspiradores!
Obrigada por esta oportunidade.
A coleção que faço com a minha filhota vai ficar tão enriquecida!

quarta-feira, 17 de setembro de 2014

VOOS LOW COST - CONSELHOS ÚTEIS


Para que a viagem que fizemos em família fosse o mais barata possível, optámos por um voo low cost e voámos na Easy Jet. Foi a primeira vez que fizemos esta opção e percebemos que tem muitas vantagens quando planeada com tempo e organização.
Há mais de 10 anos que não viajava de avião e posso dizer que, à primeira vista, achei a viagem low cost menos confortável e senti a falta da refeição a bordo, mas a diferença de preços compensou bastante e, pelo menos para voos não muito longos, acho que resulta muito bem.
Os lugares do avião da Easy Jet eram menos espaçosos do que os da Tap ou da Iberia (os que já conheci) e o embarque também não foi igual, mas as vantagens são bastante, principalmente quando se viaja apenas com malas de bordo (gratuitas, mas com tamanho máximo).

Como a experiência foi agradável e compensadora, venho deixar aqui alguns conselhos da eDreams, divulgados pelo site "Low Cost Portugal", os quais me chegaram por mail, mas que também segui quando optei pela Easy Jet:

– Planifique as férias com a devida antecedência. Não guarde para a última hora; verdade

– Seja flexível na escolha das datas, o que lhe vai permitir analisar as várias opções de partida e chegada e assim, comparar preços; por causa disto é que arranjámos viagem mais barata conhecendo Geneve;

– Evite as partidas e chegadas ao fim de semana. Na grande parte dos casos, pode ser mais barato partir à quinta-feira e regressar à segunda-feira; verdade

– Opte por voos com escala. Por vezes a diferença de tempo de viagem compensa e há uma maior probabilidade de encontrar voos mais baratos; e bem escolhido, ainda dá para conhecer outra cidade :)

– Escolher aeroportos secundários ou alternativos como ponto de chegada pode ser uma forma de conseguir poupar na sua viagem; (estudem os aeroportos para conhecer bem a forma de sair de lá)

– Reservar uma estada de, pelo menos, três dias é uma forma de reduzir os custos da viagem; yes

– Utilizar as agências de viagens de voos online permite-lhe comparar todas as opções, de forma simples e rápida, e usufruir de uma maior gama de ofertas e descontos; verdade... e pudemos escolher lugares à janela!!

– Adquirir um pack de voo & hotel, torna, na maioria das vezes, a viagem mais barata do que adquirir o voo e o hotel separadamente.

BOA VIAGEM!!!

terça-feira, 16 de setembro de 2014

"UM CASAMENTO FELIZ" (ATUALIZADO)

Foi já há alguns dias que terminei a leitura do livro "Um casamento feliz", de Andrew Klavan, que já deve
estar a chegar à sua nova dona, mas ainda não tinha vindo aqui deixar a minha (humilde) opinião sobre ele.

No início pensei que se tratasse de um simples romance, mas cedo percebi que a história é muito diversificada, quase sendo um diário, um policial, um thriller psicológico e um romance num só livro. (E não muito grande!)

"Um casamento feliz" é o que tem a personagem principal, Cat Bradley, um psiquiatra famoso na sua localidade, com Marie, uma mulher devota e dedicada, que faz de tudo para agradar ao marido e para acompanhar de perto os 3 filhos do casal.
Mas, apesar de sempre ter sido assim e de não haver sinais de mudanças, a verdade é que quando o perturbado jovem Peter Blue começa a ser acompanhado por Cat e a contar-lhe os seus sonhos e memórias, tudo começa a deixar dúvidas na cabeça do médico, que coloca em causa o que sabe sobre Marie e sobre o seu casamento.

Gostei muito deste livro, que se lê bem e com entusiasmo.

O enredo é muito cativante e, talvez por ter diversos estilos misturados, acaba por nos deixar sempre na expetativa e de nos surpreender com as revelações que vão surgindo. Sim, porque há sempre novos dados que vão aparecendo encadeados e que nos deixam a duvidar de algumas personagens, fazendo-nos mudar de opinião sobre outras e imaginando diferentes rumos e finais.

Gostei também muito da escrita de Andrew Klavan.
Foi a primeira obra que li deste escritor e só posso dizer que fiquei curiosa em relação à sua bibliografia, que inclui livros para adultos, literatura juvenil e diversas adaptações ao cinema. Pena que muitas das obras não estejam traduzidas em Portugal.

OPINIÃO DE UMA SEGUIDORA (que ganhou o meu livro num passatempo do facebook)

Geralmente os livros que se passam em famílias com filhos e histórias para contar, em que o narrador é participante, a meu ver, costumam ser narrados por uma mulher. Esta história é narrada por um homem, o marido da família, o que torna tudo diferente. Temos outra perspetiva, mais crua (as narradoras tendem a ter mais floreados, pelo menos os livros que já li).
O autor criou um enredo simples mas que conseguiu prender-me à leitura, pois desejava saber o que se ia passar a seguir, apesar de por vezes ser possível prever, mas ainda assim a incerteza quase que obriga a continuar a leitura.
Gostei do livro, não é dos meus preferidos mas é uma leitura fácil, meio intrigante e que entretém.

segunda-feira, 15 de setembro de 2014

DAVID VS LOURENÇO

Tenho seguido com a minha filhota o programa "Dança com as estrelas", mas a final de ontem foi o único episódio que vi em direto, já que usávamos as "gravações automáticas" para o fazer.
Gostei muito de ver o David Carreira e o Lourenço Ortigão a dançar. (Eram mesmo os nossos preferidos!) Acho que mereciam ganhar os dois, se bem que destaco com muitos aplausos a participação da atriz Silvia Rizzo, que mostrou-se sempre impecável em todas as danças em que participou. Grande atriz! Grande bailarina!
O David e o Lourenço são dois artistas lindos, em início de carreira, que têm um mundo artístico pela frente e que agarraram esta oportunidade com muita garra e profissionalismo, talvez percebendo como a experiência pode vir a servir de trampolim para muitas outras. Apresentando-se sempre com muita vivacidade, alegria e charme, conseguiram bons momentos de palco e encantar todos (ou quase) os que assistiram ao programa.
Poderia ter ganho qualquer um dos dois, que teria ficado igualmente contente,
mas deixo aqui os meus parabéns ao LOURENÇO ORTIGÃO. 

Imagem dos últimos ensaios (da página de David Carreira)

Imagem dos últimos ensaios (da página do Lourenço Ortigão)

Do episódio de ontem, quero salientar o momento em que os quatro participantes masculinos dançaram com as suas mães. Foi bonito ver a cumplicidade mãe-filho e o orgulho espelhado em todos os rostos.
Que bom!!

Ainda em relação a todo o programa, posso dizer que gostei muito da forma como os participantes foram evoluindo ao longo dos episódios e do ambiente de camaradagem que parecia existir entre todos.
Também gostei do guarda-roupa e das coreografias, apesar de as ter achado demasiado encenadas e provocadoras, influenciando as votações. Penso que não havia necessidade de tanta "atuação" nas danças.

domingo, 14 de setembro de 2014

3 SALADAS E 2 PEQUENOS TRUQUES

Já tinha saudades de vir aqui deixar imagens de saladas, mas não tenho tido muitas novidades para trazer, começando a repetir algumas das que aqui já deixei. Além disso, setembro trouxe de volta as sopas e algumas das minhas refeições começam a andar à roda deste prato.
Também posso dizer que a minha malta já está a fazer umas refeições mais verdes, o que faz com que os acompanhe num ou noutro prato, o que é ótimo. Aos poucos, chegaremos todos a uma alimentação (ainda) mais saudável.

Antes das saladinhas, deixo aqui 2 truques que usei no famoso "esparguete à bolonhesa", que cá em casa já era um pouco menos calórico graças ao molho de tomate caseirinho e à cozedura da carne (em vez da fritura):
- À carne picada adicionei 6 colheres de sopa de flocos de aveia
- Quando pus a água a ferver para a massa (que usei em vez do esparguete) coloquei 2 porções de esparregado congelado;

Resultados:
- A carne ficou muito saborosa e ninguém deu pelos flocos;
- A massa ficou também deliciosa e todos comeram os espinagres todos.

SALADA 1
- Agriões, alface e red pac choi
- Queijo flamengo ralado
- Sementes de girassol
- Alperces
- Morangos
- Lombinhos (finos) de frango grelhados
- Tempero: azeite e sumo de laranja


SALADA 2
- Alface
- 1 Ovo cozido
- 1 tomate
- Azeite
- Courgete
- 1 Lata de cogumelos (pequena)
- 6 colheres de sopa de flocos de aveia
- Meia lata de leite de coco

Preparar: 
- Colocar num tacho um fiozinho de azeite e juntar-lhe uma courgete cortada às rodelas, deixando cozinhar em lume baixo;
- Uns minutos depois, juntar os cogumelos e a aveia e mexer;
- Deixar apurar e juntar o leite de coco, envolvendo tudo e cozinhando até a courgete estar macia;
- Deitar o preparado sobre os alimentos crus.


SALADA 3
- Mistura selvagem (rúcula, alface e red pac choi)
- Couve roxa
- Tomate
- Raspas de fiambre de perú
- Mistura de sementes: goji, girassol e noz
- Tempero: azeite e limão

sábado, 13 de setembro de 2014

PASSATEMPO "A GRAVATA DO PRINCIPEZINHO"

Gostei tanto de ler o livro "O Principezinho põe a gravata", de Borja Vilaseca, que vou oferecer um exemplar com o apoio direto da Self Desenvolvimento Pessoal Editora.
E como gosto de ideias originais, vou propor um desafio criativo: personalizar uma gravata para "oferecer" ao principezinho.

Como?
Vou deixar aqui uma imagem de uma gravata, a qual devem usar como base. Copiem a imagem para o vosso computador ou imprimam-na. Depois é só imaginar que padrão deverá ter a gravata do principezinho e desenhá-lo na gravata, seja usando um programa de desenho (como o paint) ou material para colorir (caso imprimam a imagem).
Por fim, devem enviar-me essa imagem para o e-mail lunamarisa91@gmail.com, juntamente com os dados pessoais (nome completo, nome de seguidor, localidade), e preencher o formulário abaixo, para vos ser atribuído um número. O vencedor será escolhido aleatoriamente.


Este passatempo é promovido pela Self Desenvolvimento Pessoal Editora e terá a colaboração também da Egg Workshop e estes serão os prémios:

- Um exemplar do livro "O Principezinho põe a gravata", oferecido pela editora;
- Uma caneca personalizada, com a imagem da gravata vencedora, oferecida pela Egg Workshop.


Mais regras:
- Ser seguidor de "Faces de Marisa";
- Ser seguidor de "Self Desenvolvimento Pessoal Editora";
- Ser seguidor de "Egg Workshop";
- Partilhar o passatempo numa rede social, identificando 3 amigos na partilha;
- Apenas 1 participação por pessoa/gravata/e-mail/perfil.

Podem participar até às 23h59 do de domingo, dia 28 de setembro.
Todas as regras têm de ser cumpridas, havendo desclassificação imediata em caso contrário.

BOA SORTE!!!

ENCERRADO

O vencedor foi divulgado no facebook no dia 2 de outubro. E os prémios já estão a ser tratados. Por lapso, esqueci-me de anunciar aqui.
Muito obrigada por terem participado. Vou fazer um post aqui para mostrar todas as gravatas aos seguidores e já as enviei também para a editora.

Vencedor: Isa Vieira

"O PRINCIPEZINHO PÕE A GRAVATA"

http://www.espacoself.com/#!o-principezinho/c15i6Terminei há minutos uma leitura deliciosa: "O principezinho põe a gravata", de Borja Vilaseca, pela SELF Desenvolvimento Pessoal Editora.

Imaginem que famosa personagem de Saint-Exúpery cresceu e se tornou um adulto com muito para ensinar. Imaginem também que entrou no mundo empresarial e que vai mudar a vida de muita gente, tal como mudou a nossa quando em criança ou adolescente o conhecemos.

Não, não é esta a história deste livro.
O principezinho não aparece nesta obra, nem sei o que é feito dele na realidade, mas continua a servir para nos encantar e nos ensinar a olhar a vida com amor e respeito, pelos outros e por nós, sendo nele inspirado o personagem principal.

Esta é Pablo Príncipe, um trintão bem diferente do comum, que consegue um novo emprego como gestor de pessoas e valores na consultora SAT e faz dela uma empresa de sucesso.
Sem recorrer a técnicas convencionais de gestão, Pablo constrói com todos um caminho de felicidade pessoal e profissional, que permite que os funcionários (e chefes) encarem a vida e o trabalho de forma muito mais positiva e sorridente, fazendo mudanças que levam todo o grupo a agarrar-se mais à vida e a trabalhar com motivação e empenho. Esta é a história de base.

Na realidade, este livro nem é bem um romance. Arrisco-me a dizer que é um livro de autoajuda disfarçado de conto; é um livro de desenvolvimento pessoal baseado num caso verídico de uma empresa que mudou em função da felicidade de quem dela fazia parte, tendo como resultado o sucesso (pessoal e profisisional) de todos. É um conto contemporâneo, que traz lições de vida, nos oferece um mini-curso de crecimento pessoal e nos encanta com a forma como um homem diferente pode mudar rumos de vida.

Gostei bastante deste livro, que li com muito gosto e curiosidade.
Apesar de não ser bem um romance, a verdade é que acabei por me agarrar às personagens principais e ir imaginando o seu caminho ao longo da história, aproximando-me de algumas e identificando-me com outras.
A mensagem de que somos responsáveis pelo nosso próprio caminho, que devemos traçá-lo de dentro para fora, que estamos sempre a tempo de sermos mais felizes, passa muita vezes discretamente ao longo da história, ainda que, em alguns capítulos, passe mesmo diretamente.
A escrita é fluida, leve e motivadora, prendendo-nos do princípio ao fim.
As personagens são carismáticas e iguais a cada um de nós.
O enredo é uma lição e, ao mesmo tempo, uma lufada de esperança.

Aconselho esta leitura a todos, muito em especial a quem está disposto a receber ar puro, motivação, esperança e uma nova forma de olhar para si próprio e para os outros.

sexta-feira, 12 de setembro de 2014

PREPARANDO UMA NOVA SALA

Este ano vou iniciar um novo grupo de trabalho, dentro da mesma escola. Vou trabalhar com uma nova turma, de 1.ºano, com quem espero estar nos próximos 4 anos letivos...
É uma sensação ao mesmo tempo muito agradável e assustadora.
Há 4 anos que estava com a mesma turma (incluindo alunos e famílias, com quem trabalho também diretamente) e, ainda que tenham surgido diversas alterações na sua constituição, posso dizer que já formávamos uma equipa coesa e "vencedora".
E agora, que foram todos para o 5.ºano, chega a altura de receber mais um grupo, de voltar a criar rotinas, laços e projetos de aprendizagem.
Serão 26 alunos pequeninos, entre os 5 e os 6 anos, que vêm com 52 pais, alguns avós, muitos irmãos e uma energia inesgotável... formaremos uma nova equipa, quase uma família escolar imensa e centrada no sucesso dos mais pequenos...
E temos um espaço para tornar nosso. Temos uma sala para arranjar, adaptar, decorar, dar vida... E eu tive de prepará-la minimamente para os receber. Fiz mudanças, organizei o espaço, arrumei alguns materiais... ainda a deixei muito vazia, à espera que os "meus meninos" participem no resto da decoração, de forma a ficarmos com um espaço nosso e que nos acolha durante as muitas horas diárias que lá vamos estar.

Estava assim na segunda-feira:

Estava assim na quinta-feira:

quinta-feira, 11 de setembro de 2014

A BORDO DE UM LIVRO - EVERETT

Toda a história do livro "Lotaria" de Patrícia Wood se passa em Everett, uma cidade do estado de Washington, com perto de 100 000 habitantes, que se localiza nos Estados Unidos da América.

Localização de Washington nos Estados Unidos da América
Localização de Everett em Washington
Everett é uma cidade de finais do século XIX, que vive muito virada para o mar, sendo lá que se encontra a maior marina pública da Costa Oeste.
O Porto de Everett, que é marítimo e internacional, é responsável pela maioria do comércio, emprego e oportunidades de lazer da cidade.
Everett tem uma paisagem natural muito rica, com muitos parques, jardins, campos de golfe e espaços de lazer abertos, com abundância de lagos e rios, bem de montanhas.







quarta-feira, 10 de setembro de 2014

NO MAGAFEST

Gosto de música.
Cresci numa família de músicos, habituada a ouvir todos e vários estilos, a apreciar um bom som, a dar valor a músicos de qualidade, a sentir a música para além dos géneros, tempos e autores.

Por isso, fui com entusiasmo ao MAGAFEST com o meu Hugo (com um dos bilhetes oferta do blog BranMorrighan), apesar de não conhecer o conceito, nem o espaço, nem os sons que por lá iriam aparecer.
E gostei!
Gostei principalmente do ambiente dos concertos, muito adequado à Casa Independente, da descontração do público e cumplicidade dos grupos. Gostei da paixão com que se tocava, que se usava na defesa dos seus temas, que contagiava...
Não posso dizer que gostei de todas as atuações. Na verdade, nem vi todas, pois entrei e sai várias vezes, acabando por "petiscar" alguns grupos durante a tarde e noite de sábado.
Dos que ouvi, houve um de que não gostei e até achei que desperdiça a sua qualidade de músico em invenções e desatinos sem grande brilho.
Mas ouvi grandes vozes, "conheci" grandes músicos, percebi que há muitos projetos de qualidade a concretizar-se em Portugal.
E tenho de deixar alguns temas como exemplo do que por lá atuou...

terça-feira, 9 de setembro de 2014

"LOTARIA", DE PATRICIA WOOD

Foi com divertimento e ternura que me deixei envolver pela leitura do livro "Lotaria", romance de estreia da escritora Patrícia Wood.

Nesta maravilha de quase 300 páginas, conta-se a história de Perry L. Crandall, um rapaz com um QI quase a tocar a limitação cognitiva, que todos reconhecem ser baforado pela sorte e que detesta ser chamado de "atrasado".

Per, como lhe tratam os amigos, sempre viveu com os avós paternos, os quais tudo fizeram para lhe dar uma educação recheada de vivências, conhecimentos e competências.
A avó, pessoa que mais ama e respeita na vida, encarrega-se de fazer de tudo para que seja o mais feliz possível e para que sofra o mínimo num mundo muito preconceituoso. E após o seu falecimento, Perry tem mesmo de se agarrar a todas as lições que com ela aprendeu para construir uma nova vida, na qual só há espaço para quem verdadeiramente o aceita e respeita: bons amigos.
E a vida dá tantas voltas que o protagonista tem ainda de aprender a viver com a avultada quantia de dinheiro que ganha na lotaria, bem como com todos os nossos acontecimentos que passam a ocorrer na sua vida.

Este é mesmo um romance verdadeiramente delicioso! Adorei lê-lo!
As personagens principais são fantásticas: Perry, uma criança no corpo de um homem, que nos diverte e nos apaixona com a sua simplicidade e autenticidade de ações e de sentimentos; a avó, uma mulher de garra, que não desiste do que é importante e que mostra um amor incrível pelo neto; Keith, um amigo de primeira e de coração, cinquentão honesto, sempre pronto a ajudar Perry, com uma figura física cómica e umas atitudes divertidas de "brutamontes" de contrastam com a integridade de valores; Cherry, uma miúda problemática, com um visual irreverente, que faz as delícias de Perry e que acaba por fazer com ele e Keith um trio de sucesso que nos encanta.
O enredo é, ao mesmo tempo, muito divertido e completamente ternurento, com diálogos fantásticos e acontecimentos vulgares descritos de forma muito peculiar.

A história está muito bem organizada e encadeada, sendo a leitura muito fluída e motivadora, aparecendo os acontecimentos relacionados de forma muito inteligente e criativa e levando-nos discretamente a refletir sobre valores como a justiça, a amizade, a felicidade, o sucesso e o amor.

Tenho mesmo de aconselhar a sua leitura, já que assim que a terminei fiquei com vontade de fazer só duas coisas: dar o livro a ler às pessoas de quem gosto e procurar novos livros de Patricia Wood!

segunda-feira, 8 de setembro de 2014

A CASA INDEPENDENTE

Foi graças ao MAGAFEST que conheci um fantástico local de cultura, onde tudo parece possível e o tempo deixou de existir: a CASA INDEPENDENTE.

https://www.facebook.com/CasaIndependente
 Situa-se num antigo palacete, em pleno Largo do Intendente (Pina Manique) e inaugurou no dia 20 de outubro de 2012, sendo um projeto da associação cultural Ironia Tropical, nas pessoas de Inês Valdez, Patrícia Craveiro Lopes e Joana Nóbrega.
O espaço está decorado de forma vintage, com bom gosto, simplicidade e autenticidade, parecendo logo convidar-nos a ficar de forma confortável e amiga. Segundo consegui descobrir na internet, houve o cuidado de tentar manter o salão com espírito de baile da comarca que se fazia no local nos anos 40, mas inspirando-se também nos moradores do início do século XX. Achei curioso haver tantas peças a recordar antigos consultórios médicos, marcas da Associação de Socorros Mútuos que parece por lá ter funcionado.
A casa está dividida em várias áreas, abertas a diversos projetos culturais: concertos, dj sets, encontros gastronómicos, workshops, jantares, conferências, exposições e debates: um salão (com varandas para o largo), salas de lazer e uma cafetaria (com espaço interior e terraço). Conforme pude ver na ementa, os pratos têm várias influências e destacam-se pela originalidade.
A cafetaria pareceu-me uma boa opção para quem quer jantar ou almoçar num ambiente diferente e acho que vou lá voltar com esse intuito.
De resto, todo o espaço também irradia tranquilidade e boas energias, ficando as vaidades e preconceitos lá fora e enchendo-se as divisões de comodidades e vontade de ser e de existir.

Imagens retiradas da Internet: