sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

MEALHEIRO LITERÁRIO DE FEVEREIRO

Este mês não foi muito rico em leituras. Andei um pouco preguiçosa, sem vontade de pegar nos livros... Li menos do que devia e (muito) menos do que gostaria...
Também tive muito trabalho (da escola em casa) e vários dias a ajudar o Simão e a Matilde a estudar para os testes, o que, confesso, me tirou um pouquito a vontade de pegar noutros papéis.
No entanto, ter assumido a primeira tarefa do "Projeto Adamastor" ajudou um pouco a não tornar tão negro o panorama das leituras.
Então, vamos ao mealheiro:


DESPESAS:
LIVROS COMPRADOS:3

Encomenda "Editorial Presença" - promoção
Valor gasto: 6,60€ (3,80€ + 2,80€ - em portes de envio)
Valor dos livros: 57,73€ (17,90 + 22,21€ + 17,62€)

LIVROS ENVIADOS:1
(Para troca direta)
Valor gasto: 0,85€
 

POUPANÇAS:
LIVROS RECEBIDOS/EMPRESTADOS: 2
(1 da troca direta e 1 do projeto Adamastor)
Valor poupado: 18,40 (9,90€+8,50€)

LIVROS JÁ NA ESTANTE: 0
(lidos apenas este ano)
Valor poupado: 0€

GASTEI EM FEVEREIRO: 7,45€
POUPEI EM FEVEREIRO: 69,53€
 

terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

QUEM ANDA POR GOSTO... TAMBÉM CANSA!

Ai as minhas perninhas!!!
Quem inventou o velho ditado "quem corre por gosto não cansa" não me conhecia mesmo, ou não estava em tão má forma como eu!!
Comecei a fazer umas valentes caminhadas e ando toda partidinha. E vou com gosto!!!

Mas parece que a minha capacidade de resistência já está melhor. Eu sinto diferença e o homem também (nas caminhadas, atenção!). Veremos se conseguirei aguentar-me à bronca. Hoje ainda dei umas corridas pelo meio... Na quinta-feira, vou à primeira Corrida (ou caminhada) noturna, em Setúbal.
E sinto-me verdadeiramente mais saudável desde que meti na cabeça que era desta que perdia peso e ganhava tonacidade. Fiz algumas alterações no meu regime alimentar (principalmente reeducando o estômago e apostando em mais refeições leves e longe de doces e outros pecados), comecei a mexer-me mais, a investir em mim... e já eram 5 kgs desde que o ano começou.
Esta semana ainda vai no início e na sexta é dia de balança, mas vou continuando porque me sinto melhor e não apenas porque vejo resultados...
Não há dinheiro, mas há força de vontade... e persistência (ou teimosia!).
2014 é definitivamente o ano de pensar mais em mim!

domingo, 23 de fevereiro de 2014

NA MINHA HORTA DE VARANDA

Uma das vantagens da aproximação da primavera, é começar a ver tudo a crescer...
E já se vai notando algum crescimento na horta da minha varanda.
E porque ontem foi dia de semear, plantar e limpar o espaço, aqui fica uma amostra:

sábado, 22 de fevereiro de 2014

UMA GATINHA DOENTE

A minha gata Rosinha está doente.
Há uns tempos que andava a deitar um líquido espesso e hoje o meu marido foi com ela à veterinária para ver o que se passava.
Descobriram que a bichana está com uma infeção no útero e a necessitar de antibiótico, por isso andava a deitar pus.
Tiveram de sedá-la para conseguir tirar sangue para análises, que ela voltou a transformar-se num tigre selvagem quando a quiseram analisar melhor.
Após as análises, fizeram também ecografia e administraram-lhe antibiótico.
Agora anda com uma proteção para não lamber o local e não pode comer nem beber nada até amanhã. Seguem-se 10 dias de antibiótico e, no final, nova consulta para avaliar a evolução.
Quando a infeção passar, será esterilizada, pois corre o risco de nova infeção quando chegar o novo ciclo menstrual.

É a primeira vez que tenho uma das minhas meninas doentes e sinto um aperto no peito. Vê-la tristonha, muito quieta pela casa, de rabinho encolhido e escondendo-se de nós... fico triste, estou triste. O amor que lhe sinto é muito verdadeiro e único, pelo que dói vê-la sem saúde, com a marca dos tratamentos e pouca vontade de correr pela casa ou de receber mimos nossos.
Mia tristemente e o meu coração aperta...
Espero que fique boa num instante e que volte a ser a Rosinha de sempre: vivaça, reguila e amorosa.
Ai! Custa muito mais do que imaginava!!

sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014

36 JÁ CÁ CANTAM!!!

Ontem foi o meu aniversário e, curiosamente, até gostei de o comemorar.
Há uns anos que não desfrutava dele... acho que após os 30 deixei de o fazer. Não que a idade me pesasse assim tanto, mas algo se passou em mim que me fez deixar de achar graça a este dia e tentasse passar por ele bem à corrida, sem dar nas vistas e acelerando o relógio para que terminasse depressa.
O último aniversário foi muito difícil... e chegou mesmo a mudar muita coisa na minha forma de encarar a segunda metade da minha vida. (Sim, porque viverei pelo menos até aos 70!!!)

Este ano foi diferente.
Acordei muito bem-disposta e, apesar de ter sido "testada" a minha capacidade de encarar bem o dia com uma série de muito contratempos matinais, acabei por me aguentar feliz até à noite.
Acordada com um presente fabuloso (viva ao pessoal da casa e ao spa da aldeia!!!), fui recebida com muitas palmas, beijinhos e desenhos na escola, almocei com o filhotinha, recebi miminhos das colegas (e acabei por descobrir que sou o adulto mais novo na escola!!), muita gente me felicitou, lanchei com os meus homens e juntei-me com a família mais próxima em casa da minha mãe, para um jantar simples mas caloroso, com colinho dos que mais me amam e que mais amo também...
Deu para saborear e partilhar o dia com quem me "atura" e perceber (mais uma vez) que há muita gente que gosta de mim...  E, por acaso, haverá melhor presente??

Para registar o dia, terminei com uma foto com cada um dos meus mais-que-tudo...
Faltaram os sogros, a cunhada e a sobrinha Madalena... mas teremos outras oportunidades, que também eles são pessoas mega-especiais na minha vida.


quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

ONTEM VOLTEI À ADOLESCÊNCIA (MAS MAIS MADURA!)

Hoje já só me sinto dez anos mais nova, cheia de vitalidade (apesar das horas a menos de sonos), alegre e bem-disposta.
Ontem voltei aos meus 15 anos e à idade da loucura.
Por algumas horas fui "miúda" outra vez, mas com maior maturidade e juízo. Gritei até cansar, pulei, dancei, cantei... sonhei acordada e imaginei que estava noutro tempo e espaço, não necessariamente no passado.
Fui ao concerto dos Backstreet Boys, no Campo Pequeno, e simplesmente adorei!
Os cinco rapazes (homens, agora!) estão o máximo: lindos, em forma, divertidos, encantadores...
Esta não foi a boys band da minha adolescência, que sou da geração dos NKOTB (sabem????), mas conheço as suas músicas, gosto das coreografias, divirto-me com eles... E adorei vê-los ao vivo e perceber que, apesar das duas décadas a mais, continuam a agradar a todos os estilos.

 
 

Se me perguntarem se gostaria de voltar atrás, digo que sim. Mas com duas salvaguardas: levar comigo o que sei hoje e os meus filhos.
Assim, voltava aos 20 já hoje e começava uma história nova, com algumas (ou muitas) semelhanças, mas com outra visão de mim própria e da vida, muito mais autêntica, espontânea e descontraída...

segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

CRIANÇA QUER FALAR

Uma criança feliz brinca e joga, salta e corre, ri e sorri, fala e ouve, tem ideias e sonhos...
Uma criança feliz faz barulho e enche uma casa...
As crianças de hoje precisa muito de espaço e tempo para serem felizes.
Precisam de estar com outras crianças e com elas conviver... precisam que os adultos lhes deem atenção e carinho, para além das outras necessidades básicas, que lhe deem importância e a respeitem.
As crianças de hoje passam muitas horas na escola e lá também querem ser felizes.
E acredito que (muitas) o são...
E mesmo felizes, na escola e em casa, como a minha Matilde, as crianças querem sempre mais e mais felicidade...
E isso é bom, muito bom sinal.

Hoje fui almoçar com a minha princesa, quebrando a rotina, só para lhe ver um sorriso bem grande, que acordou tristonha, lá com seus motivos, e pediu mimos extra...
Estávamos a almoçar e a conversar, o que ela adora fazer, quando referimos os almoços diários no refeitório da escola e o barulho que por lá se "vive", filosofando ela assim:
- Mãe, como é que os adultos querem que as crianças façam? Nós precisamos de falar... Nas aulas, não nos deixam falar. Temos de estar caladas. No refeitório, não nos deixam falar. Temos de estar caladas. O único tempo que temos é o intervalo, mas nessa altura queremos é aproveitar para brincar e não vamos pôr-nos a falar...
- Olha filha, falam em casa...
- Pois, mas na escola é que estão os amigos com quem queremos falar. Eu em casa falo, mas queria também falar na escola.

domingo, 16 de fevereiro de 2014

PROJETO ADAMASTOR E "OS CANIBAIS"

http://projectoadamastor.org/ 

Foi através de uma amiga da internet, que conheci na última maratona literária de 2013, que conheci o Projeto Adamastor, que está quase a comemorar o primeiro aniversário.

Este projeto, especialmente dedicado a todos os que, como eu, gostam muito de ler, "(...) tem como principal objectivo atenuar essa escassez através da criação de uma biblioteca digital de obras literárias em domínio público, obras essas que serão disponibilizadas de forma gratuita e em formato EPUB, sem qualquer tipo de restrição."

Ou seja, através deste projeto todos podemos ter acesso a obras da nossa literatura clássica, de forma gratuita, fazendo o download da mesma, que é colocada online graças ao projeto (através do seu impulsionador e dos colaboradores).

E eu acabei de me estrear como colaboradora do projeto, ajudando na revisão de um conto de Álvaro do Carvalhar: "Os Canibais".
Este conto está em fase de revisão e de elaboração da capa, devendo estar disponível online no site do projeto no final do mês.

"Os Canibais" conta-nos a história de um trio amoroso da burguesia do século XIX, pelas palavras de um narrador não participante, mas opinioso, que nos apresenta todo o enredo, desde os primeiros olhares às últimas fatalidades.
 
Escrito de forma extremamente rica em vocabulário e alegorias, confesso que me custou a começar a entender a história, a qual foi escrita há quase 150 anos, mas acabei por gostar imenso e por ficar curiosa em relação à biografia e bibliografia de Álvaro do Carvalhal. Nunca tinha ouvido falar deste escritor, mas fiz uma pesquisa na internet e descobri que:


"Nasceu a 3 de fevereiro de 1844, em Argeriz, Trás-os-Montes, e faleceu a 14 de março de 1868, em Coimbra. Fez os estudos de Humanidades em Braga, onde começou a publicar poemas e prosas nos periódicos locais e inicia a composição dos seus primeiros "romances", designação que sempre utilizará para falar dos seus contos. Matriculou-se em Coimbra, frequentando o curso de Direito ao mesmo tempo que os homens que viriam a formar a chamada Geração de 70. Conviveu, sobretudo, com José Simões Dias, seu grande amigo, João Penha e o grupo ligado à revista A Folha. Interviu na Questão Coimbrã com um artigo, "Suicídio - vem a pelo o Poema da Mocidade e o seu autor", onde ataca Pinheiro Chagas. Em Coimbra, foi-lhe comunicada a doença grave de que sofria, um aneurisma. Angustiado e ciente do pouco tempo de vida que lhe restava, apressou-se a organizar a edição dos seus contos, que no entanto não conseguiu rever por completo, e foi postumamente apresentada por José Simões Dias. Morreu com 24 anos, enquanto frequentava o quarto ano do curso de Direito."

Descobri também que este conto foi adaptado ao cinema por Manoel de Oliveira, em 1988 (122 anos após ter sido escrito), estando o filme disponível do youtube:

sábado, 15 de fevereiro de 2014

PASSATEMPO "ISA VENDAVAL"

À medida que os meses vão passando, cada vez mais se mostra importante que cada um de nós coloque os seus dons ao serviço dos outros, mostrando-os sem necessidade de sermos demasiado humildes nem, pelo contrário, presunçosos.
Todos sabemos fazer algo bem feito ou temos determinada capacidade em maior escala... E não devemos escondê-la nem subvalorizá-la...
Eu gosto de valorizar o que tenho/sou/faço e o que os meus conseguem também... E quando falo em "meus" refiro-me à família e aos amigos, principalmente àquelas pessoas que me são muito queridas e que têm acompanhado a minha vida. Tenho descoberto muito valor em todas elas, para além das qualidades individuais.

E hoje venho dar a conhecer-vos a magnífica página da minha prima Isabel, onde ela nos mostra as lindas peças que artesanalmente faz. Desde agendas, a bolsas, a malas, a porta-chaves... todo um conjunto de peças muito bem feitas e com extremo bom gosto.
Espreitem a página "Isa Vendaval" e saberão do que falo.

https://www.facebook.com/IsaVendaval?fref=ts

E como é uma prima muito querida, aceitou o meu desafio de parceria e tem um prémio para oferecer a um dos nossos seguidores.


Querem tentar ganhá-la?
Para isso, só terão de seguir os seguintes passos:
1- Ser seguidora de "Faces de Marisa" e de "Isa Vendaval"
2- Fazer uma partilha pública deste passatempo;
3 - Preencher o formulário abaixo.

Podem fazê-lo mais de uma vez, até às 23h59 do dia 28 de fevereiro, desde que sigam todos os passos e deixem um tempo mínimo de 24 horas entre cada participação.





VENCEDOR:



PARABÉNS CATARINA PAULO!!!

Deves entrar em contacto através de mensagem privada para Faces de Marisa ou para Isa Vendaval, mandando os teus dados pessoais (nome e morada completos) para envio do prémio! Tens até ao final do dia 3 de março (segunda-feira) para o fazer.

OBRIGADA A TODOS OS PARTICIPANTES!!!

quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

ALMOCINHOS (NÃO) ACOMPANHADA...

Apesar de morar apenas a 15 minutos de distância da escola (de carro), nunca venho almoçar a casa. Não compensa, nem em tempo, nem em dinheiro...
Algumas vezes levo almoço de casa e como mesmo na sala de aula, aproveitando para colocar algumas burocracias em dia, para adiantar algum trabalho ou para corrigir alguma atividade. Acabo sempre por sair apenas uns minutos para beber o (tal) café e apanhar ar.
Em alguns dias, saio com as minhas colegas (desculpa João, mas estás mesmo em minoria e não sou de masculinos!!). Vamos comer uma sopa ou um mini-prato ao café-restaurante que fica perto da escola ou à Capricho Moitense e aproveitamos para descontrair e conviver. São dias em que nos rimos, falamos de nós, partilhamos loucuras ou desabafos sérios... podemos ser apenas duas, mas chegamos às seis.
Noutras vezes, como hoje, como uma tigela de sopa (deliciosa e quentinha) no refeitório com os meus meninos, falando sobre temas que a sala de aula não "permite", e depois aproveito para comer fruta e ler um pouco.
Hoje foi mesmo isso que aconteceu...
E soube tão bem!


terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

"CRÓNICAS DO AVÔ CHICO"

Um dos livros que li em janeiro foi "Crónicas do Avô Chico", de Pedro Jardim. Fi-lo na companhia dos meus filhotes, principalmente ao deitar.

Este livro, tal como o título indica, inclui um conjunto de histórias onde o autor nos conta muitas das suas vivências de infância, passadas com os seus avós do alentejo, principalmente com o avô Chico.
Homem dotado de sabedoria e de muitas vivências, o avô Chico dizia poesias, dava valor a pequenas ações e gestos (de grande importância) e proporcionou experiências que marcaram a vida do jovem escritor, levando-nos, através deste livro, a (re)viver momentos fantásticos.
Ao longo das páginas do livro, transforma-se num ídolo para todos nós e leva-nos a perceber como tudo era, ao mesmo tempo, simples e maravilhoso há uns anos atrás.

Pessoalmente, recordei muitas das minhas vivências de infância, apesar de não ter passado esta fase da vida no Alentejo. Recordei com saudades algumas das brincadeiras, das atitudes e do quotidiano dos meus primeiros anos e fiquei com muita vontade de ser criança outra vez. Também encontrei no livro muitas semelhanças com o que (ainda) encontro em casa dos meus sogros, que têm "todas" as costelas alentejanas e foi muito bom perceber que, felizmente, os meus filhos têm oportunidade de, com eles, vivenciar momentos únicos e que marcam tão positivamente a vida de todos nós.

Achei curioso o autor ter sentido a necessidade de colocar um "glossário" com sinónimos, onde explica o significado de muitas das palavras que usa (tipicamente alentejanas), atribuindo-lhes sinónimos atuais. Percebo porque o fez e fiquei muito feliz por (quase) não ter precisado de o usar. (Isto de ser casada com um alentejano tem destas coisas!!!)

Os miúdos também gostaram muito e resolvi pedir-lhe a sua opinião sobre o livro, para aqui a deixar.

A opinião do Simão (10 anos):
"Gostei muito das histórias e achei piada porque comparei algumas coisas com o que o pai fazia quando era pequeno e achei o avô Chico parecido com o avô Quim."

A opinião da Matilde (8 anos):
"Eu gostei do livro, mas não sei bem o que dizer. As histórias eram engraçadas e fizeram-me imaginar o Alentejo há montes de anos atrás."

Mais palavras??? Para quê? Leiam!!

segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

PARABÉNS, COMPANHEIRO!!!

Hoje o maridão está de parabéns!!!
Faz 38 primaveras e foi connosco que comemorou este aniversário.
Apesar de ser um dia normal de trabalho, conseguimos um almocinho a dois, lanchar, jantar e cantar os parabéns os quatro e agora vamos enroscar-nos no sofá.
São pequeninos mimos para um grande homem, que já é meu companheiro há mais de 17 anos.


Parabéns, meu amor!!!

domingo, 9 de fevereiro de 2014

COLEÇÃO DE PACOTES DE AÇÚCAR

Ultimamente, muitos dos nossos fins de semana têm sido maioritariamente passados em casa. O tempo não está para grandes passeios, o cansaço tem sido muito, as coisas da casa e da roupa têm ficado acumuladas para estes dois dias da semana e não temos tido muita vontade de sair do lar...

A par das tarefas da casa, da preparação das aulas, das brincadeiras, da televisão/computador, dos estudos para os testes, há sempre tempo também para aquelas pequenas coisas de que gostamos.

Este fim de semana não está a ser diferente e na noite de ontem estivemos dedicados a uma das nossas partilhas: a coleção de pacotes de açúcar do Simão.
Não fazia ideia que tínhamos tantos para arrumar, mas assim estivemos ocupados um bom tempo e deu-nos para, inclusivamente, matar saudades do verão, já que alguns dos pacotes que arrumámos foram trazidos do Porto, do hotel onde dormimos.

Os pacotes de açúcar estão arrumados em capas plásticas, daquelas para calendários, separados por marcas e/ou coleção. As capas estão num dossiê simples, que inclui também uma parte para pacotes relativos a comemorações, outra para pacotes com logotipo de lojas (principalmente de restauração) e outra para marcas menos conhecidas de café. Temos 169 pacotes no total, todos com aquele formato mais tradicional (tipo metade de um calendário), que o "gerente" da coleção assim o decidiu.

Não os temos pelo valor que a coleção possa vir a ter um dia, mas como elemento de união e partilha entre nós os quatro, por isso guardamos os pacotes vazios e, por isso mesmo, conseguimos juntar alguns gramas valentes de açúcar, que hoje usaremos no bolinho da semana.

sábado, 8 de fevereiro de 2014

LOJA DE ROUPA... PORQUE NÃO?

Não sou pessoa de gastar muito tempo a visitar lojas de roupa, nem a falar sobre peças e marcas, nem a manter-me fiel a esta ou aquela peça de roupa. Sou normalmente prática e não ligo muito a estes pormenores.
No entanto, gosto de peças de roupa bonitas e há alguns lojas onde normalmente vou quando preciso comprar algumas peças de vestuário.
E há uma loja que simplesmente adoro, mas que visito poucas vezes, porque a acho um pouco cara para a minha bolsa e para o valor que dou ao vestuário: a Promod.
Geralmente aproveito os saldos para lá ir dar uma espreitadela e tenho em casa algumas peças de lá que são das minhas preferidas, mas há já bastante tempo que não ia espreitar o que por lá se vende e ontem, quando tive uma horita só para mim no Almada Fórum foi mesmo onde me apeteceu ir.
Resultado: consegui duas lindas blusinhas de verão por 12€... e já a contar com o que vou "pesar" nessa altura. (Já me servem, mas irão continuar a servir se perder algum peso)

Além das blusas, trouxe também um cartão de fidelização, aproveitando a campanha de S. Martinho. Ao contrário da maioria dos cartões deste tipo, o Cartão Promod foi pago (6€) mas, com esta promoção, ficou em 2€ porque ganhei um vale de desconto de 4€ e um conjunto aliciante de vantagens exclusivas.
Acho que fiz uma boa aquisição e que, talvez assim, passe a conseguir comprar mais peças desta marca.

quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

EU NASCI...


Quem diria?
Eu, Marisa sossegadinha, equilibrada e metódica... louca?
Claro que sim!
Sou louca e sempre fui, por isso decerto nasci assim.
Só sei viver com loucura ou outros sentimentos/atos parecidos em intensidade, como a paixão.
Só louca sou feliz e, por fugir à loucura, muitas vezes escolhi o caminho errado ou me afastei do mais certo.
Assumo e ponto!
E venham todas loucuras que há tanto espero!!

quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

ANTESTREIA DE "VELAS NEGRAS"


Ontem fui com o meu Hugo à antestreia da série "Velas Negras", do AXN.
Esta nova série já estreiou nos Estados Unidos e tem estreia marcada em Portugal para o dia 12 de fevereiro, quarta-feira, pelas 22h20 no referido canal e promete cativar a atenção de todos, em especial daqueles que gostam de filmes de piratas.
A antestreia foi em Lisboa, no Teatro do Bairro, em pleno Bairro Alto.
Já lá tínhamos estado noutras ocasiões e voltámos a adorar.
Fomos muito bem recebidos à entrada. Ofereceram-nos um lenço e uma pala de pirata, bem como moedas (de chocolate, claro!). Tirámos fotografias, fomos filmados... bebemos um copo e aproveitámos todo aquele ambiente de ilha deserta e de piratarias. Ainda não sei onde vão colocar as fotos, mas estou ansiosa por vê-las.
Promovido pelo canal AXN com a colaboração da vodafone, o ambiente esteve sempre fantástico e ficámos ansiosos pelo primeiro episódio da série.

E foi uma boa espera, pois a série parece mesmo ser muito boa.
Achei-a um pouco "pesada", compreendendo porque é para maiores de 18 anos. Teve cenas de violência e algumas de sexo, mas o enredo pareceu-me muito interessante e os atores de muita qualidade. Gostei também do guarda-roupa, da fotografia e dos cenário. Verdade seja dita, fiquei com muita vontade de ver o segundo episódio e de seguir a série.
Obrigada, AXN, por um final de dia tão fantástico!

Sobre "Velas Negras":
"1712. A Época de Ouro da Pirataria nas Caraíbas está no seu auge. A antiga colónia britânica da ilha de Nova Providência é agora um território sem lei, controlado pelos mais famosos capitães piratas da história. O mais temido de entre eles é o Capitão Flint, o pirata mais temido da Era Dourada. O seu carisma esconde uma raiva contida e uma tendência inata para utilizar a violência. " (in www.axn.pt)

E o trailer:

segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014

SAÍDA DE "GIRLS"

Já nem sei há quanto tempo não saía sozinha com amigas! Já perdi a conta!
Mas este ano estou numa de recuperar alguns hábitos do meu "Eu Marisa" e de descobrir o que me faz sentir bem e feliz nesta minha face, independentemente de todas as outras...
Estar sozinha com amigas, sair à noite para dançar e conversar com adultos são, sem dúvida, alguns exemplos e, sem culpas nem desculpas, quero voltar a sentir esses prazeres...
Valorizar-me, olhar para dentro de mim e sentir paz, mimar-me e procurar momentos de felicidade sem ser como mãe/professora/esposa é indiscutivelmente importante para a minha felicidade e chega de fingir que não o sei por sentir medo de ser menos perfeita nas outras faces. Até porque acredito que serei melhor em todas elas se estiver de bem comigo própria!

E foi com este pensamento que na sexta à noite saí com 3 companheiras bestiais (de sempre e para sempre): a mana, a cunhada e a amiga Sílvia.
A saída estava marcada há quase um mês e contava com o dobro das miúdas giras, mas à última da hora aconteceram imprevistos e acabámos por ser só nós as 4...

Fomos jantar a um restaurante fantástico em Setúbal, com uma onda gourmet e vintage, mas bastante acessível: o "Três 15 Dias". Comi uma massa fantástica com queijo parmesão e ervas aromáticas e conversámos até à meia-noite e meia.
Depois, já só três, fomos até à Avenida Luísa Todi e, sem já conhecer quase nada dos bares de lá, vimos o ambiente de vários e escolhemos o que mais nos agradou. Entrámos no "Tody's Wine Cocktails", que estava completamente apinhado, e aproveitámos bem o tempo que lá estivemos: bebemos um copo, dançámos e aproveitámos o ambiente.
Não voltámos tarde para casa, mas soube muito bem sair da rotina e estar comigo mesma (e com elas, claro!!).
 
 
E que bom que foi sentir a cumplicidade do meu pessoal cá de casa... a princesa ajudando a escolher roupas e maquilhagem, os "homens" dizendo que eu estava bonita... todos desejando que me divertisse muito. E consegui!!!!!

Conseguem descobrir-me?

 

domingo, 2 de fevereiro de 2014

EMENTA (IUPI, CONSEGUI FAZER!!!)

Um dos meus objetivos para este ano é conseguir fazer sempre ementas, para não ter de pensar diariamente naquilo que vou cozinhar, pois é uma das razões que me leva a perder a vontade de o fazer.
Durante o mês de janeiro não fiz nenhuma, mas não há nada como recomeçar quando um novo mês começa!
E porque na sexta fiz compras, aqui ficam as refeições para os próximos dias:

domingo:
almoço - Tortellini de carne com queijo e ervas aromáticas
jantar - Ratatui à minha moda

segunda-feira:

jantar - Frango grelhado com arroz 3 delícias

terça-feira:
jantar - Douradinho no forno com esparguete

quarta-feira:
jantar - Bifes de novilho com esparregado

quinta-feira:
jantar - Bacalhau espiritual

sexta-feira:
jantar - Fifinhos de perú grelhados com batata cozida e cogumelos gratinados

sábado:
almoço - Polvo à lagareiro (à moda do Hugo)
jantar -Rolo de carne assado com batata doce

domingo:
almoço - Lasanha de carne, com alho-francês
jantar - Pescada cozida com brócolos e couve-flor

segunda-feira:
jantar -Arroz de pato

http://cache2.allpostersimages.com/p/LRG/32/3212/Y2P1F00Z/posters/dipaolo-dan-good-food-good-life.jpg


NOTA:
Muito provavelmente irá sobrar comida em algumas refeições. Como nada se estraga por aqui, esta ementa deve acabar por dar para mais dias, havendo refeições de "rendom".

sábado, 1 de fevereiro de 2014

"O LIVRO DO AMANHÃ"

A última leitura que terminei foi da obra "O Livro do Amanhã", de Cecelia Ahern, do qual gostei bastante.
Foi um livro de leitura fácil e entusiasmante, principalmente a partir do oitavo capítulo, quando começam a aparecer informações que nos levam a quer descobrir sempre mais.

"O Livro do Amanhã" conta a história de uma jovem de 16 anos, tipicamente fútil e despreocupada, que sempre viveu numa família abastada e que, após a falência e suicídio do pai, se vê confrontada com a experiência de viver com a mãe numa casa mais humilde, à mercê da solidariedade de uns tios que lhes dão guarida.
Inicialmente revoltada com toda a situação, Tamara Goodwin, começa por arranjar alguns problemas, mas a sua vida e o seu pensamento começam a mudar quando encontra um livro muito especial numa biblioteca itinerante e, com ele, descobre que toda a sua existência está envolvida numa grande mistério.
Decide então descobri-lo e leva-nos com ela nessa aventura.

Gostei muito de ler este livro que, a exemplo de outros que já li da autora, nos apresenta uma escrita fácil e envolvente, que irremediavelmente nos prende a partir de determinado momento.
A personagem principal é uma jovem de personalidade muito interessante que, em alguns meses, descobre em si mais potencial do que poderia acreditar.
Todas as outras personagens assumem uma grande importância em todo o enredo, apesar de aparentemente parecerem mais secundárias.
Gostei da riqueza dos diálogos e da descrição do espaço onde tudo decorre, conseguindo imaginá-lo com relativa facilidade... gostei da desenrolar das descobertas, que foi ocorrendo progressivamente, deixando-me a imaginar o que poderia acontecer a seguir... gostei de voltar a encontrar títulos nos capítulos...

Ao contrário do que acontece na maioria das vezes, este livro não foi selecionado aleatoriamente da minha (grande) lista em espera, mas surgiu de uma ideia: comparar a minha opinião sobre uma obra com a da minha irmã, que, na altura, estava a ler o mesmo.
Ora se ambas temos o mesmo livro, porque não aproveitar e lê-lo (mais ou menos) ao mesmo tempo?
E foi isso que aconteceu e, apesar dela ter começado e terminado primeiro, foi interessante a experiência e permitiu-me fazer-lhe um pedido especial: escrever a sua opinião pessoal para eu colocar aqui no blog.

E é essa opinião que vou também publicar. Foi-me enviada pela melhor mana do Mundo e vou lê-la pela primeira vez aqui, junto com todos.

Opinião da mana Mafalda:



"Confesso que não tinha ideia nenhuma das tramas que apresenta este livro. Fui deixando desvendar, através da escrita de leitura fácil da autora, os pormenores que iam aparecendo na história e (muito ao meu gosto) se descodificaram nos capítulos finais. A ideia, um pouco mágica e fantástica, de vermos escrito num diário (que nós próprios escrevemos) os acontecimentos do amanhã, parece-me fantástica. A possibilidade de evitar alguns dissabores… de melhorar pormenores do dia, sem alterar o futuro, parece-me muito atrativa e positiva.
Este é um livro de leitura apetecível e muito boa companhia."