segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

"A VIDA NUM SOPRO", DE JOSÉ RODRIGUES DOS SANTOS

Terminei há pouco a leitura do livro "A vida num sopro", o sexto romance de José Rodrigues dos Santos.
Foi o primeiro livro que li deste jornalista e escritor português tão conhecido e confesso que o fiz com muita curiosidade, mas alguma apreensão.
Costumo vê-los muitas vezes à venda e sei que são muito apreciados por milhares de leitores, mas sem saber bem porquê achava que não iria gostar dos seus livros e que me sentiria farta entre tantas e tantas páginas.
A verdade é que só me deixei "convencer" porque mo ofereceram em formato ebook e gostei da sinopse desta obra. Mas ainda bem que o fiz!!!!

A história de "A vida num sopro" passa-se principalmente no Norte de Portugal, durantes os anos 30 .
As personagens principais são Luis e Amélia, dois eternos apaixonados cuja história de amor não nos deixa indiferentes.
Conhecem-se em Bragança quando ambos frequentam o liceu e logo se apaixonam, iniciando um romance que não é nada bem visto pelas colegas de Amélia nem por sua mãe, que arranja uma forma de afastar os dois por muitos anos.
Apesar do desgosto, Luis prossegue a sua vida sem imaginar que vai reencontrar a sua amada, mas que outros importantes acontecimentos vão continuar a impedir que a relação entre os dois aconteça.
E será entre episódios da Guerra Civil Espanhola e relatos da vida em Portugal em pleno governo de Salazar, que ficamos a conhecer todos os pormenores deste romance, que surge condenado a um fim pouco feliz.


Gostei muito deste livro e estou agradavelmente surpreendida com a forma como o mesmo me envolveu durante os últimos dias.

Normalmente digo que não gosto de História, mas dei comigo a sentir necessidade de saber mais sobre alguns acontecimentos que marcaram os anos 30 em Portugal e na Espanha.
E tive de pesquisar! Tive de conhecer melhor aquela década, de descobrir o que era a PVDE, de perceber quais as forças contrárias que lutaram entre si no país vizinho e os porquês desta guerra, de ligar pormenores e fazer concordâncias. Parei a leitura e fui à procura.
E gostei de entender melhor o que se passou naquela altura. Saber o que aconteceu de verdade ajudou-me a perceber melhor algumas partes do livro, mas também aconteceu o contrário, sendo que a forma coesa e bem encadeada com que José Rodrigues dos Santos narra acontecimentos verídicos e ficcionais também ajuda a compreender o que realmente aconteceu, deixando a vontade de saber mais.
Lembrei-me muitas vezes do meu Hugo, pensando como devem ser gratificantes os livros deste escritor para pessoas que, como ele, gostam muito de História e sabem muito mais do que eu.

Gostei também muito do enredo principal do livro e das suas personagens.
O romance está muito bem contado e explorado, as personagens são enigmáticas, diversificadas e com personalidade, os espaços foram muito bem escolhidos e são apresentados oportuna e agradavelmente sem grandes descrições, os diálogos são muito frequentes e (quase que) musicais, surgindo com regionalismos e expressividade, sendo que também ajudam a distinguir e a valorizar as personagens.

De certeza que irei ler outras obras de José Rodrigues dos Santos e recomendo-as a quem aprecia boas histórias e um excelente trabalho literário.
Que bom que é ter escritores portugueses com esta qualidade!!

8 comentários :

  1. Eu também estaca renitente quando peguei, na biblioteca, o primeiro livro dele que li, "Fórmula de Deus" e fiquei encantada! Com a história em si, muito estilo "Dan Brown", explica muitas coisas dos nossos dias e do passado, conspirações, teorias, ciência, verdades... Não haja dúvida que é um livro intenso, mas no meu caso é um daqueles livros difíceis de pegar, pois é uma literatura de alguma forma "pesada", com muita informação e só leio quando estou mesmo para ai virada.
    Só tenho pena que haja tanta gente que o difama, pois ele só faz o trabalho dele, não merece.

    ResponderEliminar
  2. Já li este livro há algum tempo e gostei muito!
    Gosto de livros com história e que (tentam) retratar épocas da ociosidade! Ajuda a contextualizar a história do livro!

    Beijinhos e boas leituras!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Verdade, Isaura!!
      E eu que só agora descobri que tb gosto!!
      Beijinhos

      Eliminar
  3. O José Rodrigues dos Santos tornou-se, sem eu perceber muito bem porquê, no meu escritor favorito da actualidade. Já li tudo o que escreveu. Alguns dos romances duas ou três vezes. Sou completamente fã do trabalho deste autor. Sempre fui muito ligasa à Literatura e a minha formação académica é nessa área. Gosto de muitos escritores, de vários géneros. Mas nunca nenhuma escrita me encantou como a dele. Já o admirava enquanto jornalista, admiração que partilhava com a minha mãe, que faleceu em 2012 e , por isso, quando em 2002 ele começou a escrever, senti curiosidade.... Mas jamais me passou pela cabeça, quando comecei a ler os seus romances que ele se viesse a tornar no meu autor favorito. Mas isso aconteceu :) .... Fiquei completamente fã dos seus romances. Logo que sai um, sempre em Outubro, trato de o ler. Sinto uma grande identificação com as ideias dele, a personalidade que aparenta ter e , acima de tudo, a sua escrita.
    A escrita dele é só semelhante à do Dan Brown aparentemente. Porque no caso do Dan Brown não há qualquer compromisso com a realidade, enquanto que nos romances dele, as personagens estão lá ao serviço da realidade, da passagem de informação verdadeira.

    Acho que as pessoas o difamam por pura inveja. Ele vende muito, é muito querido do público e isso causa inveja. Não tem outra explicação tanta má vontade que se vê em relação a ele. Afinal, ele (como qualquer escritor) não obriga ninguém a ler os seus livros. Quem não quiser ler, tem bom remédio: não lê.

    É natural que os livros dele tenham sempre uma grande componente relaconada com História, tendo em conta que a mulher é da área de História e ela ajuda-o muito nos romances :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu também fiquei fã sem dar conta!!!
      Parece é que agora tenho muitos livros para ler... fiquei atrasada enquanto fã. ;)
      Beijinhos

      Eliminar
  4. Também foi o primeiro título que li do autor, já lá vai algum tempo. A escrita prende-nos e surpreende-nos pela positiva. É de leitura compulsiva! :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Verdade!!
      Só acho que teria gostado mais se fosse em "papel".
      LOLOL
      Beijocas

      Eliminar