domingo, 25 de maio de 2014

BFF... POSSÍVEL MAS SÓ QUANDO OS PAIS QUEREM

Há cerca de 18 meses atrás, fiz aqui um post em que falava sobre a forma como a minha filhota Matilde se relacionava com a sua melhor amiga Mariana. Ela era uma das suas "Best Friends", juntamente com a Kika e a Madalena, de quem é amiga desde os 4 e 5 anos (respetivamente).
Infelizmente, porque alguns adultos não sabem deixar as crianças de fora das suas zangas e acabam por terminar amizades tão fortes e poderosas como as delas, não tem tido contacto com a sua (primeira grande) amiga, de quem tem imensas saudades e de quem fala imensas vezes... mas continua a estar muito próxima das outras, contando com elas para tudo e estando sempre disposta a investir nessa amizade.

A Madalena faz anos amanhã e a minha princesa não descansou enquanto não lhe comprou o presente ideal, aquele que ela vai adorar e do qual mais ninguém se vai lembrar.
Eu achei um presente pequeno para a sua amiga e lá insisti para ela lhe comprar também um livro... Procurámos e, de repente, vejo a minha pequena aos saltos super contente a dizer:
- Mãe, achei o livro perfeito para a Madalena!
- Ela gosta dessa coleção, filha? - perguntei eu, dirigindo-me curiosa para ver o porquê de tanta alegria.
- Não sei, mas este é perfeito para ela! Vê: "BFF"!
- Ok. Se não tem nenhum, vamos procurar o n.º1. - disse eu, pensando que se tratava de uma coleção sobre uma personagem famosa (esse tal de BFF! )
- Está aqui!!! YES!!! - disse a minha princesa eufórica.

E pronto, de repente fez-se luz nesta minha cabecinha de mãe cansada (e quiçá velhota!!): BFF - Best Friends Forever! Pois claro que é a coleção ideal! Como não reparei eu nisso? Está explicada a euforia e, para comemorar amizade tão bonita, comprei-lhe também o n.º1 da coleção para lerem ao mesmo tempo!!!



Este episódio deixou-me a pensar na amizade e no quanto nós, pais, temos o dever de apoiar e ajudar os nossos filhos a manter os seus amigos preferidos. Não concordo com a exclusividade e sempre insisti para que os meus filhos se relacionassem com muitas crianças, para que se sentissem sempre acompanhados e ganhassem força emocional para lidar com diferentes situações e personalidades. Mas sei como é importante manter os "amigos especiais" e como é importante para a estabilidade das crianças terem em quem confiar bastante para além da família. Os amigos são pilares importantíssimos na vida de todos e se isto é verdade para o adultos, para as crianças ainda mais...

Mas temos de ajudar a fazer durar este tipo de amizade, mais que não seja permitindo que se relacionem em acontecimentos e situações diversas, promovendo encontros, orientando de forma objetiva (apesar de emocional) quando há zangas ou outros "problemas", valorizando as ações positivas que vão fazendo... educando emocionalmente.
No caso das BFF's da minha Matilde, posso dizer que também gosto das mães delas e que me relaciono bem com as duas, mas não fazem parte do meu grupo de amigas nem nos encontramos sem ser por elas. Mas qualquer uma de nós as três (e respetivos pais, claro!) promove e bate palmas a esta amizade, fazendo gosto que continuem juntas enquanto para elas fizer sentido e não deixando que as nossas diferenças (sociais, culturais, de personalidade ou opinião) prejudiquem as três princesas.
Pena que não continuem a ser 4!
Pena que nem todas as pessoas pensem como nós!
Mas parece-me que estamos certas e a felicidade da minha filha com as suas amigas, bem como a facilidade com que se relaciona com outros miúdos, dá-me certezas a cada dia que passa!

Sem comentários :

Enviar um comentário