domingo, 22 de setembro de 2013

OUTRA AMIGA DA FAMÍLIA: A BATERIA!

A bateria é outra amiga da família com a qual convivo desde sempre.
O meu tio Zé (que também é meu padrinho), irmão da minha mãe, toca desde miúdo e é o meu ídolo número um nos instrumentos de percussão.
Qual Phil Collins, Ian Paice ou Nicko McBrain...
O Zé Pitassa é o MELHOR e é pena que talentos como o dele não sejam melhor rentabilizados.


O tio Zé tem tocado em várias bandas, de vários géneros.
O hard rock é a sua eleição, mas ele toca (bem) de tudo um pouco há mais de 40 anos.
Há uns meses que estava parado, mas ontem foi convidado a fazer uma "Demo Percussion" no Restaurante Bar do Arrabida Resort & Golf Academy e foi espetacular ouvi-lo a tocar sozinho, como se de uma banda se tratasse. Uns minutos de solo, onde parecia que a bateria estava colada a ele e que o explorar frenético de todas as potencialidades do instrumento (tambores, pratos, bumbo, caixas, baquetas, tarolas...) era algo naturalmente humano... nele é! Nasceu para ser baterista, de certeza.


Mais ao final da noite, também foi ótimo ouvi-lo acompanhar em perfeito improviso uma viola e uma voz. Rock, pop, country, pimba, sambas, rumbas, tangos, blues... todo e qualquer ritmo, inesperadamente surgindo de um ou outro músico, sempre seguido pelo restante acompanhamento...
Improvisar na bateria, usando as suas diferente partes sempre de formas notoriamente diferentes e deixando-se guiar pelo ritmo que lhe corre nas veias (de certeza!) e que, talvez por parte do sangue ser o mesmo, a mim me levavam a dançar com todo o corpo, mesmo sentada... (acho que até os dedinhos dos pés marcavam ritmos e compassos sem me aperceber!)

Adorei...
E só queria que lhe fosse dada uma oportunidade de aproveitar o seu talento... para não mais ficar parado!

Sem comentários :

Enviar um comentário