quarta-feira, 10 de abril de 2013

LIBERDADE DE EXPRESSÃO? SIM OU NÃO?

Não faço a mínima ideia de quem lê o que aqui escrevo. E, muito sinceramente, tirando aqueles amigos virtuais ou especiais e a família, não quero saber... no sentido do "não me interessa" que aqui venha quem me conhece ou quem ão conhece...

Desde cedo percebi que o que se escreve num blogue público pode ser lido e (curiosamente) interpretado por quem quiser, pois não temos controle sobre um diário como este. Já o sei há muitos anos, pois o primeiro blogue que tive ainda nem a minha Matilde tinha nascido e ela já fez 8 anos... nem sei se já estaria grávida... sei que, com este, já tive 6 blogues, 4 dos quais profissionais... Não tenho medo da exposição, tal como não tenho de ser a única a fazer isto ou aquilo, desde que o sinta e/ou queira fazer...

A mim não me faz confusão, pois o que eu não quero que se saiba, posso simplesmente não escrever..
Se tiver um segredo, que não quero que se saiba, ocultarei. Se não tiver, não pessoa de duas caras para aqui escrever uma coisa e dizer ou concretizar outra... quem de verdade me conhece sabe que sou muito fiel àquilo em que acredito e que luto sempre em defesa disso...

Faz-me confusão pessoas para quem "está tudo bem", que concordam só para fazer jeito ou não remar contra a maré, para quem se cola a uma imagem que não se pode esborratar, que não reagem às dores das crianças ou culpam os outros de tudo só porque não aguentam o reflexo que vêm o espelho, sendo que, na verdade, muitas vezes nem disso se aperceberam ainda. Faz-me confusão as pessoas que não param para questionar os porquês, que agem só porque sim, quem têm medo da tal "faca e queijo na mão" que, supostamente, há quem tenha em relação aos outros.

Por enquanto, penso que ainda há liberdade de expressão neste país e que não é proibido dizer-se o que se pensa... ou será que já voltámos para trás assim tantos anos? Por enquanto, ainda posso escrever o que me apetecer se estiver disposta a responder pelo que escrevo... não por uma questão de "dar satisfações", mas para esclarecer alguém que se tenha sentido incomodado... Por enquanto, não sou assim tão influente ou assustadora que a minha palavra provoque rebeldia ou pânico... ou não devia. Sou apenas um ser humano como todos os outros, com defeitos e qualidades, (sim, porque todos temos as 2 coisas, não se iludam!) com ideias próprias e sentimentos, com pensamentos nas diversas faces, mas todos coerentes uns com os outros e de acordo com o que sou fora daqui. Uma querida, segundo alguns, ou uma bruxa, segundo outros, mas porque os uns e os outros é que são diferentes e não eu. Euzinha, Marisa, nas várias faces da vida, sou sempre igual a mim mesma e o que faço condiz com o que quero, o que quero condiz com o que digo, o que digo condiz com o que escrevo, o que sinto condiz com o que sou...

1 comentário :

  1. Marisa, tu és linda!
    Continua assim, e diz o que queres eu tambem sou assim.
    beijinhos

    ResponderEliminar