sábado, 23 de fevereiro de 2013

NÓS E O TEATRO INFANTIL

Cá em casa todos nós gostamos de teatro e desde bebés que levamos o Simão e a Matilde a assistir a peças (primeiro) para bebés e infantis.

Hoje voltámos a uma das "nossas" salas: fomos ao "Teatro Bocage" assistir à peça "Os três porquinhos". Foi muito divertido e passámos uma hora muito agradável. Só tivemos pena que alguns adultos não soubessem estar numa sala de espetáculos e que, por isso, não tivessem educado os seus filhos a permanecer em silêncio e com atenção. Sim, porque também se educa e há formas de se estar durante a peça.
"Os três porquinhos" conta-nos uma nova versão da história tradicional, desenrolando-se toda a ação entre 3 atores que vão interpretando diferentes personagens. O cenário está bem pensado e elaborado, apesar de muito simples. O guarda-roupa e adereços são coloridos e chamam a atenção e a encenação e o texto colocam-nos bem-dispostos e a dar algumas gargalhadas. Valeu a pena!

Esta sala de espetáculos, situada numa rua estreita e inclinada de Lisboa, paralela à Almirante Reis, entre o Martim Moniz e o Intendente, não é muito grande, mas tem recebido peças muito divertidas, mais ou menos todas com a mesma qualidade de produção. (Pelo menos as que assistimos!)


Também gostamos muito de ir ao "Centro Cultural Malaposta", que é, talvez, o nosso lugar de eleição no que toca a teatro infantil. A companhia residente, com encenação de Fernando Gomes, produz peças espetaculares, onde tudo brilha de cor e alegria. Desde os cenários, aos figurinos e adereços, tudo mostra muito bom gosto e é apelativo. Os atores são brilhantes e as histórias, normalmente adaptadas dos contos tradicionais, são animadas e divertidas.
Além desta companhia, muito outros (bons) espetáculos ocorrem nesta casa da arte de Odivelas, que fica muito fácil de encontrar para quem sabe onde fica o Dolce Vita Tejo.
E é sempre muito agradável esperar o espetáculo num espaço que acolhe sempre exposições de arte fantásticas, muitas vezes de pintores e escultores portugueses que merecem algum destaque.


As peças do "Teatro Infantil de Lisboa", em cena no teatro Armando Cortez, na Casa do Artista, são sempre de qualidade superior, em todos os aspetos. Embora menos acessível financeiramente (apesar de agora já haver bilhetes de família), valem por toda a qualidade do conjunto, incluindoi sempre uma banda sonora fantástica e uma qualidade de interpretação que nos prende do início ao fim.

Do mesmo género, de teatro musical infantil gosto também de salientar as peças de Filipe La Féria, no "Teatro Politeama", que muito encantam miúdos e graúdos. Este ano está em cena "Peter Pan".

Sem comentários :

Enviar um comentário