quinta-feira, 3 de janeiro de 2013

CAIXA DE TEMPO

Há já algum tempo que ouvia falar neste jogo, mas apenas há uns meses comecei a pesquisar melhor os conceitos que estão por detrás dele. Cedo me certifiquei de que os seus pressupostos fazem todo o sentido para mim e na relação que tenho (e quero manter) com os meus filhos...
O jogo "Caixa de Tempo" é uma forma de pais e filhos terem bons momentos juntos, num tempo escolhido pelas crianças e negociado com os pais. Nesse tempo, livre da maior parte das regras, é obrigatório estar completamente disponível para os filhos que, ao nos entregarem uma carta com o que querem fazer connosco, nos estão a pedir que sejamos "totalmente" deles.
As propostas, organizadas por meses, são de diferentes níveis de facilidade e de tempo de utilização, indo de simples "adormecer ao colo" ou "ler um livro" a uma "ida ao cinema" ou a um "acampamento (nem que seja na sala)".
(clicar na imagem para saber mais e comprar)
 
Gostando da ideia e curiosa sobre a forma de o usar, e apesar de achar que não somos uns pais pouco disponíveis, resolvi comprar a "Caixa de Tempo" para oferecer aos meus filhos este Natal.
No início, eles não acharam que fosse algo de extraordinário, mas quando no 1.º dia de janeiro a foram explorar em conjunto, foi maravilhoso ver a forma como encararam o "poder" que lhes estavamos a oferecer. Em conjunto (e sem brigas!!!!!) riram com sonoras gargalhadas, correram pela casa a tirar dúvidas connosco, organizaram-se e fizeram contas e esquemas de utilização... escolheram a primeira carta e vieram combinar quando a podiam usar. Ah, mas primeiro assinámos os quatro uma declaração de compromisso que vem no jogo!!!
Assim, aprovámos a primeira tarefa logo para essa noite e foi um final de dia super divertido.

A carta dizia:
"Ficar acordado mais uma hora e ouvir uma história graaaaaande!"

E o nosso serão ficou mais rico. Uma hora a mais a brincarem um com o outro, muito divertidos e encantados com o "negócio" e depois escolheram uma história gigantesca, contada em 4 livros. Quiseram a mãe e o pai a contar a história a 2 vozes e deitámo-nos os 4 na cama dos pais. Lemos os 2, fizemos vozes e rimos às gargalhadas com as peripécias (não das personagens mas) dos leitores, da forma de deitar para cabermos todos (o pai só lê sentado e a mãe deitada, oh God!), de livros a baterem em cabeças e dos suspense que ficava de um livro para o outro, da felicidade de estarmos ali, unidos e sem pensar em mais nada.
Foi muito agradável!!

É lógico que isto poderia ter ocorrido sem qualquer espécie de jogo. É lógico que temos a obrigação de nos darmos em tempo aos nossos filhos. É claro que não foi um tempo fora do comum, mas foi diferente e único. E o poder que ambos sentiram e a forma como se uniram, foi algo de mágico. Aconselho!

2 comentários :

  1. Amiga adorei! Só tu para descobrires estas coisas magníficas. Agora é só saber qt custa, fazer contas à vida e tentar adquirir um. Obrigada pela dica fantástica. Beijoca grande

    ResponderEliminar
  2. Sei bem a história dessa caixa mágica. Uma mãe, que vivia só com 4 filhos e trabalhava muito para os sustentar e como é normal nestas situações, não tinha tempo para estar com os filhos. Chegou o Natal e a mãe não tinha dinheiro para prendas, depois de muito pensar e dar voltas à cabeça o que nesse ano daria de prendas aos filhos, inventou a caixa do tempo!!! Gosto da ideia e gosto do tempo que dispois SEMPRE para os teus filhos.Beijinhos princesa!

    ResponderEliminar