quinta-feira, 27 de setembro de 2012

GOSTO DE ABRAÇOS

Hoje vi esta imagem publicada no facebook de uma colega-amiga e não pude deixar de falar no assunto...
 
Há dias, uma mãe de um "ex-aluno" deixou-me um comentário que me tocou especialmente: "Que saudades do abraço da professora Marisa!". Sim, Maria João... também tenho saudades daquele abraço. Porque aquele abraço é prova de que somos pessoas iguais, que gostam de alguém em comum, que se deixaram tocar uma pela outra, que se respeitam mutuamente, que querem a mesma felicidade... sim, também tenho saudades de abraçá-la, deixando-a com esperança de que tudo correrá bem...
 
Tenho saudades do abraço desta mãe. Porque partilho abraços com quem me confia os seus filhos com respeito e humildade, com quem dá valor ao que faço e me desculpa quando erro, porque sabe que sou humana e que educar é difícil.
Porque abraço os seus filhos quando me deixam orgulhosa, quando brinco com eles, quando estão tristes, quando se magoam no recreio, quando chegam de manhã e abrem os braços para mim. E é tão bom abraçar e deixar os corações, pertinho um do outro, se falarem sem produzir som...
 
Tenho muitas saudades do abraço da minha mãe, do abraço do meu pai... acho que tenho de começar a visitá-los mais vezes só para os receber. São abraços de conforto, de colo... diferentes de todos os outros. São abraços de amor eterno, de quem sempre nos amará, independentemente do rumo que a vida tomar. E dou tão poucos abraços, porque ando sempre tão apressada... vou mudar isso e abraçá-los mais.
 
Tenho saudades dos abraços que gosto de dar aos colegas, aos amigos... há quem se incomode com eles, porque não está acostumado ou porque receia que traga alguma intenção menos inocente. Não, comigo não. Gosto de dar abraços, acredito que aproximam as pessoas, que transmitem alegrias e energias positivas. Quem me conhece, quem aceita conhecer-me, sabe que gosto de abraçar, que abraço com carinho, que dou beijinho de mimo, que gosto do toque, de festinhas... quem aceita o meu abraço e o partilha, faz crescer e iluminar o meu dia.
Quem me abraça sem ser eu a dar o primeiro passo, sobre degraus na minha estima. Abraço mais mulheres do que homens... é um facto. Também porque vivo num mundo muito feminino (a escola ainda é muito lugar de mulheres!), mas também porque o mundo ainda não se abriu aos abraços como algo natural e sem maldade e parece que é preciso muito mais confiança para abraçar um homem (que não os nossos)... receio mal entendidos, más interpretações, e começo por um passar de mão pelo braço... à procura de um abraço.
 
Gosto de abraços e vou querer dar muitos mais do que já dou...

Sem comentários :

Enviar um comentário