sexta-feira, 24 de agosto de 2012

ISLA E ROSINHA NO ALENTEJO

Já aqui deixei escrito que tenho duas gatas lindas: a Rosinha (de 4 anos) e a Isla (de 2 anos).
São duas amigas felinas que me fazem muita companhia e de quem gosto muito.
Têm características comuns à maioria dos gatos domésticos, mas, como são minhas (quase de família) serão sempre as melhores gatas do mundo.

Quando fomos de férias para o Algarve, elas foram uma das razões porque não pensei em ficar mais tempo. Elas ficaram por cá, o tio ou a avó vinham dar-lhe comida e água, tinham espaço com fartura na varanda e faziam companhia uma à outra, mas não tinham os mimos dos donos, nem os donos (eu, por exemplo) sentíamos o calor delas. Fez-me falta a companhia das duas quando estava deitado no sofá, o miar e roçar pelas minhas pernas à procura de festas, o ronronar ao massajar as duas (às vezes ao mesmo tempo), em sítios que preferem, como atrás das orelhas, na barriga ou no pescoço.
E foi com muita alegria e saudações especiais que nos receberam... tinham saudades e nós também!

Ora, posto isto, quando fomos para o monte decidimos levá-las e descobri outra das vantagens de estar de férias em casa da família. As minha amigas também foram e gostaram de estar de férias, cada uma à sua maneira, e nós gostámos de as ter connosco num ambiente que não é habitual, mas com as tais mimoquices que faltavam!


ISLA, A DESCONTRAÍDA
A gata Isla teve umas férias passivas e descontraídas no monte.
Miou (quase) toda a viagem, mas depressa se apercebeu que podia passar todo o dia a dormitar à sombra, dentro de uma casa fresquinha... Experimentou todas as camas (por baixo e por cima), tapetes, móveis, diferentes soalhos... Domiu horas em cima de um colchão que está debaixo da nossa cama... fez a dança do sono e dos mimos muitas vezes no tapete da sala, veio até nós algumas vezes para recostar a cabeça. Não aproveitou o exterior, já que só pôs a cabeça de fora da porta de entrada e não quis arriscar. A porta esteve muitas vezes aberta e ela não tentou sair, por medo ou por preguiça. Acho que só o tempo dirá o porquê. Mas estava feliz, à sua maneira.


ROSINHA, A AVENTUREIRA
A gata Rosinha teve umas férias ricas em descobertas e em exercício físico.
No primeiro dia, apenas espreitou à porta, mal arriscando ir à rua e fazendo companhia à amiga Isla.
Depois... bem, depois conheceu todos os 3,5 hectares do monte e arredores. Ela cheirou tudo, escavou muito, pulou, correu, fez xixi ao relento, dormiu a sesta à sombra de árvores e arbustos, matou a curiosidade por galinhas, peixes, ratos e outras bicharadas, tomou banho (involuntário) num dos tanques, descobriu novos sons, sabores (vegetarianos) e cheiros. Andou para cá e para lá, mudando as velocidades e experimentando diversos pisos e aventurou-se perto e longe de nós.
O problema foi que, na penúltima noite, achou de deveria viver também a agitação noturna do sítio e andou fugida, porque descobriu quem estava distraído ao ponto de a deixar sair de casa. E deve ter explorado bem, pois no dia seguinte, para grande felicidade nossa, estava de volta e extremamente cansada. E foi preciso cuidados redobrados na última noite para que não repetisse a proeza... nada que a solidariedade de uma criança e uma janela (alta) aberta não resolvesse... tendo passado mais uma noite de "deboche".
Ora que bela aventura, a da Rosinha! Gostou tanto, tanto que (confesso) estava com medo que já não quisesse estar cá em casa... mas parece que ambas perceberam o que são férias e já voltaram às rotinas.




2 comentários :

  1. Obrigada pelo comentário querida :)

    Bem que gatinhas lindas *.*

    ResponderEliminar
  2. Boa sorte no meu giveaway <3
    As gatinhas são tãoooo lindas!

    ResponderEliminar