quinta-feira, 5 de julho de 2012

TER TUDO... MISSÃO IMPOSSÍVEL!

Há coisas que me custam na vida, mas que não hesito em fazê-las, nem as evito, porque acho que todos podemos aprender com elas.
Uma das coisas que me custa é ver desilusão na face dos meus filhos quando algo que querem muito não corre como o esperado. Mas sinto (que isto de educar é, para mim, muito sentir) que têm de aprender que não se pode ter tudo, que o mundo não é fantasia e perfeição e que, por vezes, quando queremos muito uma coisa, temos de pensar que poderá levar-nos a não ter outra. Sei que há quem pense que têm muito tempo para se "desiludir", mas não quero enganá-los e a vida é assim...

Tudo isto veio à minha ideia porque, não querendo ser pessimista, estou já a prever que o meu Simão vá ter uma desilusão no seu aniversário: vão faltar quase todos os amigos e vai ter "só" a família.

Há uma característica do meu primogénito que admiro muito e que gostaria que mantivesse: para ele os AMIGOS são os amigos e os outros são colegas... ou seja, dá-se bem com toda a gente, mas só tem alguns verdadeiros amigos, com os quais se identifica e com os quais quer estar muito próximo. Gosta de levá-los a sair, de estar em casa deles e de os ter na sua, de brincar às suas brincadeiras preferidas, de partilhar coleções e falar sobre os bichos (arrepiantes) e as (loucas) experiências. E são estes que quer ter consigo no seu aniversário. Com os colegas relaciona-se bem, brinca nos intervalos e na rua (ou na catequese ou no desporto), fala sobre assuntos menos pessoais e trabalha (se tiver de ser).

Ora, o Simão, além de adorar os AMIGOS, adora o MONTE DO VEADO, que é uma "quinta" que os meus sogros têm a alguns kms de Montemor e onde tem querido passar os seus últimos aniversários.
Juntar estes "dois amores" não é fácil, por enquanto (que tenho esperança que na adolescência tudo se simplifique).

Assim, parece que, dos 4 AMIGOS, apenas um vai connosco nesta viagem de 80 kms, passará todo o sábado no monte, vai à piscina, almoça e janta em família, faz slide construído especialmente pelo avô Quim, brinca no castelo da árvore e na casinha de madeira, aproveita o ar livre, assiste a cinema na rua, dorme em tendas na relva e acorda com o seu melhor amigo. Só um e uma desilusão na face do meu filho, no seu aniversário. Desilusão por faltarem os outros 3 (principalmente porque os divórcios dos pais causam transtorno e a idade não é ainda muito dada a dormidas fora da família)... Desilusão porque apenas 1/4 dos AMIGOS vão lá estar...

(No seu 8.º aniversário)

Mas...
Ele percebeu tudo isto e fico feliz por ele.
Fica triste, mas compreende que o seu aniversário de sonho não pode (ainda, volto a dizer) contemplar mais do que 18 adultos da família (de sangue e não) e 9 crianças... Mas contente por ter tudo o resto, desde a ementa que mais gosta ao seu lugar de sonho... passando por uma experiência nova (de acampar na relva dos avós), um dia de piscina e de horta, brincadeiras horas e horas de seguida... Está triste, desiludido, mas percebe que não se pode ter tudo e que, quando queremos muito uma coisa, temos de fazer cedências e abdicar de outras...

Vai ser fantástico e inesquecível o fim-de-semana, mas a mim custou-me muito não poder "obrigar" os pais dos 3 a articularem e deixarem-nos ir... porque eles também iriam adorar... porque o meu filho ia ser o menino mais feliz do mundo por 2 dias....

Mas...
A vida é assim e não há volta a dar.

(Talvez minimize com uma ida ao cinema e um lanche no Fórum na próxima semana, contemplando 5 rapazes de 9 anos!)

1 comentário :

  1. E o Simão merecia lá ter os 4 amigos escolhidos. Mas a ida ao cinema tb vai ser fantástica e em grande.
    Como o nosso menino merece!

    ResponderEliminar