segunda-feira, 23 de julho de 2012

DESABAFO PESSOAL PASSADO

Neste momento tenho muitos livros na minha mesa de cabeceira, mas nem sempre tem sido ou é assim.
Mas há um especial, que me foi oferecido há 5 anos e que tem lá permanecido desde então, não porque o estou a evitar ler, nem porque já o li muitas vezes.... não é a Bíblia Sagrada (mas podia ser), nem nenhum espécie de rezas, cânticos ou exercícios (que também já lá estiveram)... é o livro "Viagens", de Paulo Coelho, que contém muitas páginas, mas apenas uma frase sábia deste escritor em cada uma, estando o resto cheio de linhas para escrever. As frases são inspiradoras e dão confiança, fazendo acreditar na felicidade, mas o mais importante, para mim, está nas reflexões e rascunhos que lá tenho escrito, porque não tinha este blogue ou ninguém para desabafar... Há momentos meus em que preciso deitar para fora para não rebentar.
Hoje apetece-me deixar aqui um desses "Desafabos pessoais".

"Ontem falei com a morte. Dediquei-lhe um poema falado que queria escrever e enviá-lo quando fosse preciso. Pedi-lhe que não olhasse para mim, que deixasse de me aliciar, de me provocar. Pedi-lhe que me deixasse só, se tornasse invisível ou discreta.
Andei com ela no pensamento, nas palavras, na imaginação e compus textos sábios, decerto orações inversas, de repugna, de expulsão.
Hoje descubro que não é por mim que ela espera, não é meu corpo e alma que vem buscar. Quer apenas levar teus sonhos que, inertes e paralisados no tempo, a convidam a carregá-los para o outro lado. Nem te apercebes dessa morte; não sonhas, não dás pelo seu cheiro, pela sua presença.
Hoje entendo porque a vejo cá em casa a toda a hora. Está escrito nestas mensagens. Eis o segredo desvendado."
Marisa Luna
12/11/2007

3 comentários :

  1. O texto parece-me um bocado negro. Interpreto que viveste um momento de desilusão, de profunda tristeza, que faz parte do passado, agora há que sorrir! :)
    Beijinho

    ResponderEliminar
  2. Olá Ana Rita!
    É verdade! Foi escrito numa altura muito difícil, que já passou, felizmente.
    Mas continuo a achar que há muita gente a morrer por dentro e que essa é das piores mortes.
    Beijocas e obrigada por me visitares
    Marisa

    ResponderEliminar
  3. Todos nós princesa, todos os dias vamos morrendo um pouco!!!

    ResponderEliminar