terça-feira, 12 de junho de 2012

EXPOSIÇÃO DE BRINQUEDOS ARTESANAIS NO CCB

Quem me conhece sabe que adoro programas com e para os miúdos. Alguns dos nossos fins-de-semana têm passeios a 4, idas a quintas e cidades/lugares novos, atividades caseiras com todos, ou incluem idas ao teatro, cinema, museus e ateliês.
Já começava a achar que a coisa estava difícil neste último aspeto pois têm acontecido cada vez com mais frequência os telefonemas dos serviços educativos a desmarcar por falta de inscrições. Além disso, confesso, ouvi duas "bocas" que não me agradaram e que, por não ter respondido convenientemente na altura, acabaram por "mexer" comigo e me deixar dúvidas em relação à "excessiva estimulação cultural" dos meus filhos... (hoje já acho que é a Escola que não está preparada para miúdos com um nível cultural mais elevado!)

Não querendo ser mais chata, vou direta ao assunto: ontem estivemos numa fabulosa exposição de brinquedos antigos artesanais, feitos pelas mãos de Simão Bolívar, um artista brasileiro que a todos nos encantou.
Guiados pelo próprio autor, entrámos num mundo de magia, com brinquedos articulados, totalmente feitos de materiais reutilizados: latas, cápsulas, tampas, etc.

A exposição, patente no Centro Cultural de Belém até ao dia 15, é gratuita e merece o nosso tempo, pois tem "obras de arte" (como referiu a Matilde no trabalho sobre o fim-de-semana) que merecem o nosso aplauso.
O artista, com muita sensibilidade e simplicidade, duas qualidades que admiro no ser humano, mostrou-nos cada brinquedo, deixou as crianças mexerem neles, dando vida a um mundo imaginário, explicou como fez, falou sobre si e sobre a sua obra como se fizesse a coisa mais fácil do mundo...







 



Eu adorei. O marido adorou. Os miúdos adoraram.
E depois, já mais do que motivados, participámos em mais de 2 horas de ateliê, onde construímos 5 brinquedos simples e divertidos, que fizeram o imaginário das crianças e deram ideias profissionais aos adultos.




Foi uma tarde feliz, cujo cenário do rio Tejo, carregado de veleiros de variadíssimos tamanhos e feitios, ilustrou e fez crescer em nós um sentimento de fé e esperança no ser humano e no que de bonito consegue fazer com as mãos.

1 comentário :

  1. As nossas mãos são mágicas...nem temos noção do dom que Deus nos deu, ao nos dar um tão útil equipamento. Basta ter estímulos e imaginação. Adorei os trabalhos.

    ResponderEliminar